O Que É Turbidez da Água?

O Que É Turbidez da Água?

Se existe um parâmetro que, a olho nu, indica que a água apresenta problemas de potabilidade, ele certamente se chama turbidez.

A turbidez é um sintoma explícito de falta de condições sanitárias e qualidade da água. Então, para as pessoas que só querem matar a sede, a turbidez já é um importante sinal de alerta que dispensa análises laboratoriais mais complexas.

Ou seja, é o tipo de problema que permite que qualquer leigo identifique que aquela água feia e de aparência suja não está adequada aos padrões para o consumo humano, podendo causar males e complicações à saúde.

Nos tempos recentes, aliás, a água turva tem sido um transtorno recorrente na vida cotidiana de brasileiros que abrem as torneiras de suas casas e se deparam com a popular e nociva “água marrom”.

Conforme a mídia tem noticiado, o problema de turbidez na água vem afetando cada vez mais moradores de cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Alagoas e Rondônia, entre outros estados.

Mas a água em estado de turbidez também provoca prejuízos e dificuldades ao setor industrial, comprometendo a qualidade de fabricação de diversos produtos (especialmente alimentos, bebidas e fármacos) e causando aborrecimentos e insatisfação entre consumidores.

Turbidez: Definição e Causas

Água Turva: Solução com o Filtro de Água FUSATI

A turbidez é a condição da água com quantidade excessiva de partículas em suspensão. A presença dessas partículas afeta a propagação da luz pela água e, dessa forma, provoca a falta de transparência no recurso que é essencial aos organismos vivos.

As causas da turbidez são várias, por exemplo o excesso de chuvas, crises hídricas, problemas de erosão no solo, atividade mineradora, práticas agrícolas, excesso de algas e falhas no sistema de tratamento de água de distribuição pública.

O resultado desses fatores é a presença de vários tipos de resíduos sólidos em suspensão na água, partículas orgânicas e inorgânicas como argila, sílica, coloides, algas, lodo, restos de folha, microorganismos e outros elementos não solúveis.

O nível de turbidez da água é mensurado por aparelhos chamados de turbidímetros ou nefelômetros.

Esses dispositivos utilizam a unidade de turbidez NTU (Nephelometric Turbidity Unit) para medir o nível de turvação. Mas de maneira genérica, a unidade que expressa a turbidez também é citada como U.T. ou uT.

A medida da turbidez é determinada a partir da quantidade de luz refratada nas partículas em suspensão. Quanto maior a dispersão dos feixes de luz, maior é a turbidez da água.

A Água Potável e a Portaria Nº 5

O nível de qualidade da água doce é definido a partir de suas propriedades físicas, químicas e biológicas.

No caso da turbidez, ela é um dos parâmetros físicos, assim como a temperatura, o sabor, o odor, a cor, a presença de sólidos (em suspensão ou dissolvidos) e a condutividade elétrica.

Cabe destacar que, no Brasil, os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade estão descritos no Anexo XX da Portaria de Consolidação Nº 5, do Ministério da Saúde (MS).

De maneira geral, a Portaria Nº 5 estabelece que o limite de turbidez da água potável – ou valor máximo permitido (VMP) – é 5 unidades de turbidez (uT).

Detalhes mais precisos sobre esses limites estão listados no Anexo 2 (do Anexo XX) que traz a Tabela de Padrão de Turbidez para Água Pós-Desinfecção (para Águas Subterrâneas) ou Pós-Filtração.

Esta tabela classifica quatro tipos de tratamento da água, os valores máximos permitidos (VMP) de unidades de turbidez (uT) e a frequência de amostras para análise. A saber:

  • Filtração rápida (tratamento completo ou filtração direta) – 0,5 uT em 95% das amostras; 1,0 uT no restante das amostras mensais coletadas (uma a cada 2 horas)
  • Filtração em membrana – 0,1 uT em 99% das amostras (uma a cada 2 horas)
  • Filtração lenta – 1,0 uT em 95% das amostras; 2,0 uT no restante das amostras mensais coletadas (uma amostra diária)
  • Pós-desinfecção (para águas subterrâneas) – 1,0 uT em 95% das amostras; 5,0 uT no restante das amostras mensais coletadas (uma amostra semanal).

Fonte: Anexo 2 do Anexo XX da Portaria de Consolidação Nº 5, do Ministério da Saúde (MS)

Turbidez na Água de Distribuição

A turbidez da água é um problema que, eventualmente, causa transtornos e muita chiadeira de habitantes de cidades brasileiras.

Apesar da maioria dos municípios do país dispor de sistemas e Estações de Tratamento de Água (ETA), fatores como o excesso de chuvas, a presença excessiva da substância geosmina e problemas na produção e distribuição de água tratada podem causar a turbidez.

O Filtro de Água Central FUSATI é a solução definitiva para eliminar a turbidez da água, tanto de abastecimento público quanto de poços artesianos.

Filtro de Água de Entrada e Filtro Central • Tratamento de Água • Casa, Condomínio, Prédio Residencial Comercial • FUSATI Filtro de Água e Tratamento de Água

Confeccionado em aço inoxidável, o aparelho é equipado com um poderoso elemento filtrante – sete camadas de quartzo! – que, além de higienizar a água, elimina as impurezas insolúveis que estão em suspensão. O Filtro FUSATI retém micro-partículas de 5 a 15 mícrons (μm).

Essa eficiência sanitária garante o fornecimento de água tratada em toda a extensão do imóvel, ou seja, em todos os pontos de conexão hidráulica (torneiras, registros, chuveiros, caixa d’água e outros dispositivos).

Para oferecer total performance, o Filtro de Água FUSATI é conectado ao sistema de encanamento do imóvel (após o hidrômetro). Dessa forma, o filtro opera 24 horas por dia como um eficiente sistema de tratamento de água e infalível bloqueador de impurezas.

Além dessas vantagens, ainda possui o sistema de retrolavagem (tecnologia autolimpante) e funciona sem energia elétrica.

Ideal para residências, comércios, escritórios, lavanderias, consultórios, pequenas indústrias e outros negócios que requerem a oferta de água potável e tratada para seus colaboradores, clientes e frequentadores em geral.

Água Turva e o Tratamento de Água Para a Indústria

O setor industrial também sofre com a falta de qualidade e a turbidez da água que é empregada em suas unidades fabris.

Isso mesmo, a água turva é um insumo bastante inconveniente para as indústrias que dependem de água totalmente livre de impurezas para os seus processos produtivos.

Quando não solucionada, a turbidez da água se torna uma grande dor de cabeça para, particularmente, empresas fabricantes de alimentos, bebidas e medicamentos.

Para atender essa necessidade industrial, a FUSATI projeta Estações de Tratamento de Água (ETA) pressurizadas, compactas e modulares.

As ETAs FUSATI são construídas de forma customizada, levando-se em conta os seguintes aspectos:

  • tipo de fonte de abastecimento (rede, poço, rio ou outro manancial hídrico)
  • nível de vazão disponível na região
  • tipo de água requerido pelo processo fabril (correção de parâmetros físicos, químicos e biológicos para a geração de uma água totalmente adequada)
  • espaço disponível na planta fabril

As Estações de Tratamento de Água (ETA) também são desenvolvidas para o atendimento de conglomerados residenciais e comerciais (condomínios verticais e horizontais), hospitais, clínicas, hotéis, restaurantes, shoppings, clubes, frigoríficos, escolas e outros estabelecimentos/negócios.

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

Água de Poço Artesiano Faz Mal à Saúde?

Água de Poço Artesiano Faz Mal à Saúde?

Os poços artesianos são uma importante fonte hídrica em regiões onde não há redes públicas de abastecimento de água. Nesses locais, a água retirada dos reservatórios subterrâneos (aquíferos) é essencial para o uso doméstico, a agricultura e a indústria. Mas afinal, a água de poço artesiano faz mal à saúde?

Embora seja natural, a água de poço não é necessariamente potável e pode estar inadequada para o consumo humano imediato.

Quer dizer, em muitos casos ela não se enquadra nos padrões vigentes de potabilidade, que no Brasil são estabelecidos pela Portaria de Consolidação Nº 5 (Anexo XX), de 28 de setembro de 2017.

Portanto, antes de ser ingerida, utilizada na higiene pessoal, na lavagem e cozimento de alimentos, a água proveniente de poços precisa ser submetida a métodos de filtragem e tratamento.

Além disso, em muitos casos a água de poço apresenta propriedades químico-físicas que precisam ser readequadas para o consumo seguro.

Em situações como essa, a melhor e mais eficaz opção é a instalação de um Filtro Central, sistema de tratamento de água que, simultaneamente, faz a higienização e a correção dos padrões de potabilidade.

O Que É Um Poço Artesiano?

Os poços artesianos são poços tubulares profundos construídos para a captação de água dos reservatórios subterrâneos (aquíferos).

Possuem diâmetros reduzidos, de até 36 polegadas, e são feitos por meio de perfurações com sondas que atingem profundidades de 100 metros a 2.000 metros, conforme as características hidrogeológicas da região. Isso significa que são obras de engenharia geológica e requerem tecnologia específica.

Uma característica dos poços artesianos é que a água jorra naturalmente, ou seja, eles não dependem de bombas. Isso acontece devido à pressão subterrânea.

Aliás, vale ressaltar que não se deve confundir poço artesiano com poço raso (também conhecido como poço caipira), que é aquele do tipo escavado, de menor profundidade (média de 20 metros), de maior diâmetro (cerca de 1 metro) e que a água não tem pressão.

Em tempo: a denominação “artesiano” tem origem histórica, já que foi na cidade de Artois, na França, no século XII, que houve a perfuração de um poço com tais características. Mas apesar dessa fama pioneira ser atribuída aos franceses, há indícios de que esse tipo de perfuração já ocorria há milênios por povos asiáticos e africanos.

Poço Artesiano Necessita de Autorização?

Sim! Para se ter um poço artesiano é preciso observar alguns aspectos legais.

A perfuração e a construção de um poço artesiano dependem de outorgas para o uso da água e licenças ambientais, que são emitidas por órgãos reguladores.

No caso do Estado de São Paulo, os principais órgãos são a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), o DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) e a Vigilância Sanitária.

A construção de um poço também deve seguir normas estabelecidas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). E o profissional responsável pela obra, engenheiro ou geólogo, deve ser capacitado e credenciado junto a conselhos/órgãos de regulamentação.

O Excesso de Ferro e Manganês

Uma etapa essencial para a implantação e utilização de um poço é a análise laboratorial de uma amostra da água.

Isso é necessário para identificar as características físicas, químicas e biológicas da água visando, caso seja necessário, a correção desses parâmetros.

Falando nisso, aproximadamente 70% dos poços artesianos registram a presença demasiada de ferro e manganês na composição da água. E isso não é bom.

Qual é o problema disso? O excesso desses metais na água de poços artesianos pode causar vários transtornos e complicações às pessoas, e também às indústrias, que dependem desse tipo de fonte de abastecimento.

O mau cheiro, a cor amarelada, o gosto metálico, o risco de proliferação de bactérias e o surgimento de doenças são alguns dos problemas provocados pela água com grandes quantidades de ferro e manganês. 

Especificamente no âmbito industrial, a abundância de ferro e manganês compromete a qualidade da água que é empregada como insumo básico nos processos fabris.

Em outras palavras, essa ‘água suja’ prejudica todo o setor industrial. Mais particularmente a produção de alimentos, bebidas e medicamentos, que são itens que dependem de água totalmente potável e livre de impurezas para a sua fabricação.

Quando isso não ocorre, esses produtos têm suas propriedades alteradas, causando prejuízos às empresas e reclamações de consumidores.

Outro problema recorrente em poços é a chamada “água dura” – aquela que apresenta altos teores de cátions de cálcio e magnésio, acima de 150 mg/litro -, que pode causar prejuízos em encanamentos de empresas e residências.

Tal problema ocorre devido ao acúmulo desses minerais e outras partículas nos canos, provocando a formação de incrustações e, consequentemente, o risco de vazamentos e rompimentos nas tubulações.

Tratamento de Água para Residências, Condomínios e Indústrias

A FUSATI produz Filtros Centrais e sistemas de tratamento de água para atender residências, condomínios e indústrias que são abastecidas por poços artesianos.

Os Filtros Centrais e as Estações de Tratamento de Água (ETA) com a patente FUSATI são projetados e construídos para fornecer água potável para todo tipo de demanda doméstica, comercial ou fabril.

Além da filtragem realizada por sete camadas de quartzo, os Filtros Centrais e as compactas, modulares e pressurizadas ETAs FUSATI podem ser equipados com acessórios periféricos que executam a redução de minerais (ferro e manganês), o controle de pH, a gestão de cloro e a correção da água dura, entre outras ações.

De fato, uma grande vantagem dos filtros e sistemas de tratamento de água da FUSATI é a possibilidade de customização. Essa versatilidade operacional permite adequar o Filtro Central ou a ETA ao tipo de água de abastecimento e à quantidade de vazão disponível.

Skid para Tratamento de Água Redução de Ferro e Manganês – Casas e Residências
Estação de Tratamento de Água Compacta para Indústrias
Em Jundiaí, a FUSATI solucionou o problema de qualidade de água em um condomínio residencial com Estação de tratamento e filtração

Conheça as tecnologias FUSATI de filtragem e tratamento de água de poço! E descubra porque elas são as melhores escolhas para o fornecimento de água potável e segura para famílias, indústrias e outros negócios que são abastecidos por águas subterrâneas.

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

O Que É Água Potável?

O Que É Água Potável?

Você sabia que a água potável só foi reconhecida como um direito humano no dia 28 de julho de 2010? Naquela data, esse direito internacional foi decretado pela Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas).

Por meio da resolução 64/292, a ONU reconhece que o acesso à água segura e limpa (potável) e ao saneamento básico é um direito humano essencial para o total desfruto da vida e de todos os direitos humanos.

Dados já alarmantes à época, mais do que justificavam a medida. Em 2010, a ONU se dizia “profundamente preocupada” com o fato de que cerca de 884 milhões de pessoas viviam sem água potável e 2,6 bilhões de habitantes sem condições ideais de saneamento básico.

Mais grave ainda, a ONU alertava para a morte de 1,5 milhão de crianças com idade inferior a 5 anos em razão de doenças provocadas por água contaminada e falta de condições sanitárias. 

Lamentavelmente, de lá para cá houve a escalada dessas estatísticas. E hoje, mais de uma década depois, a obrigação global de oferecer oferta de água potável e segura à população ainda continua sendo descumprida pelo mundo afora.

Água potável, Um Recurso Raro e Vital

A água doce é, sem dúvida, o mais precioso recurso natural e a cada dia se torna mais urgente o seu uso racional.

Principalmente porque a água doce representa menos de 3% de todo o volume de água existente no planeta.

A água é um elemento tão essencial e trivial para os seres humanos que, talvez por isso, muitos de nós pensamos que água potável e água pura são exatamente a mesma coisa.

Mas além dessa presença minoritária, a estrondosa demanda de água de cidades e indústrias, as mudanças climáticas e as crises hídricas tornam o acesso equitativo à potável um desafio ainda maior.

A propósito, a ONU, por meio da Organização Mundial de Saúde (OMS) , define a água potável como aquela:

  • totalmente livre de agentes patogênicos e de altos níveis de substâncias tóxicas
  • que é utilizada para atividades essenciais como ingestão, lavagem e cozimento de alimentos, preparo de refeições e higiene pessoal (banhos, escovação de dentes e outras necessidades).

No Brasil, os padrões de potabilidade da água são estabelecidos pela Portaria de Consolidação Nº 5, do Ministério da Saúde (MS).

De maneira específica, é o Anexo XX desta Portaria (editada em 28 de setembro de 2017) que dispõe sobre o controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.

Nele estão descritos padrões microbiológicos, regras para a coleta de amostras, valores permitidos de turbidez, normas para a desinfecção com cloro, ozônio e ultravioleta, doses máximas de substâncias químicas e outras diretrizes.

Lei em SP Obriga Fornecimento de Água Potável

Em alguns lugares do mundo, a água potável é oferecida gratuitamente a clientes e frequentadores de cafés, bares e restaurantes. Essa é uma prática comum em cidades dos Estados Unidos, França e de outros países europeus. 

E, recentemente, a cidade de São Paulo ganhou uma legislação que torna essa gentileza obrigatória em bares, hotéis, restaurantes, lanchonetes, padarias, cafeterias e estabelecimentos congêneres que comercializam água engarrafada.

Segundo a Lei Municipal Nº 17.453/20, promulgada em 9 de setembro de 2020, esses estabelecimentos “ficam obrigados a servirem ‘Água da Casa’ a seus clientes, sempre que esta for solicitada, de forma gratuita”.

Para esclarecer, a legislação explica que ‘Água da Casa’ é aquela de composição normal, proveniente de fontes naturais ou artificialmente captadas, que tenha passado por dispositivo filtrante no estabelecimento onde é servida e que se enquadre nos parâmetros federais de potabilidade para o consumo humano.

Por fim, o texto enfatiza que a ‘Água da Casa’ deve constar no cardápio, de modo visível, informando os consumidores sobre sua oferta e avisa que o descumprimento da lei pode acarretar multas que vão de R$ 1.000,00 a R$ 8.000,00.

Vale frisar que legislações semelhantes a essa já vigoram nos estados do Rio de Janeiro, do Espírito Santo e também no Distrito Federal.

Água 100% Potável e Tratada em Casa

Teoricamente falando, a água que chega às torneiras de nossas casas – previamente higienizada e desinfetada nas Estações de Tratamento de Água (ETA) – já é apropriada ao consumo humano.

Eventualmente, contudo, essa água se torna insegura e inadequada para as nossas necessidades porque apresenta instabilidades que comprometem a sua total potabilidade.

Isso pode ocorrer devido à presença de resíduos orgânicos e inorgânicos, excesso de cloro e outras micropartículas que, por vezes, são carreadas pela tubulação.

Essas anormalidades podem ser causadas por vazamentos, rompimentos e manutenções na rede de abastecimento, excesso de chuvas e problemas durante o tratamento da água nas ETAs.

Para solucionar esses problemas e, assim, ter água 100% potável e tratada em casa, a melhor alternativa é a aquisição de um dos modelos de Filtro de Água FUSATI – equipamentos dotados de tecnologia, precisão operacional e a confiança de mais de 50 mil clientes espalhados pelo Brasil.

Filtro de Água de Central • Tratamento de Água • Casa, Residências, Condomínio, Prédio Residencial Comercial • FUSATI Filtro de Água

A FUSATI – empresa especializada em filtros de água e sistemas de tratamento de água – desenvolve e comercializa modernos e eficientes Filtros Centrais há quatro décadas.

A linha de Filtros Centrais FUSATI está presente em todo o Brasil, garantindo o tratamento e a distribuição de água potável e totalmente segura em lares, condomínios, comércios, empresas, hospitais, hotéis e indústrias. 

Equipamentos Filtrantes e Inoxidáveis

Geralmente, o Filtro Central é instalado após a entrada de água do imóvel. Essa localização estratégica permite a filtragem de toda a água fornecida pela rede de abastecimento.

Isso quer dizer que, depois de ser tratada pelo Filtro de Água FUSATI, a água potável é distribuída para todos os pontos hidráulicos da casa, prédio ou instalação comercial. Tanto para a caixa d’água quanto para as torneiras, chuveiros e registros que recebem água direto da rua.

Os carros-chefes do catálogo de filtros da FUSATI são os modelos Atlântico, Índico e Pacífico.

Filtro de Água de Entrada e Filtro Central • Tratamento de Água • Casa, Condomínio, Prédio Residencial Comercial • FUSATI Filtro de Água e Tratamento de Água

Esses três modelos foram desenvolvidos para receber vazões que variam de 800 litros por hora a 2.000 litros/hora.

Essa versatilidade operacional permite que sejam utilizados em diferentes lugares – residências, lojas, escritórios, clínicas, lavanderias e empresas – para assegurar o fornecimento de água potável para o consumo humano.

À primeira vista, porém, a principal característica dos Filtros Centrais FUSATI, e que logo chama a atenção do consumidor, é a sua consistente estrutura física. 

Robustos, são filtros construídos em aço inox 304 (versão mais tradicional da liga de metal) ou aço inox 316, variação mais resistente do material que é indicada para regiões litorâneas, onde a ação da maresia é bastante agressiva.

Já em seu interior, os Filtros FUSATI possuem sete camadas de quartzo, minério que é um dos mais eficientes elementos filtrantes. Aliás, sua utilização na higienização da água é milenar.

Na prática, as sete barreiras de quartzo fazem a remoção de impurezas e micro-partículas de 5 a 15 mícrons (μm) que estão presentes na água. 

Além de garantir o fornecimento de água potável e livre de impurezas, a ação do quartzo evita o acúmulo de sujeira, incrustações, minérios e resíduos de ferrugem no encanamento. Exemplo: o Filtro Central FUSATI remove metais como ferro e manganês, que normalmente compõem a água proveniente de poços artesianos.

Vale dizer que todas essas ações filtrantes aumentam a vida útil de dispositivos e eletrodomésticos conectados à rede hidráulica como registros, torneiras, chuveiros, máquinas de lavar e outros.

Mas ainda há outras vantagens exclusivas do Filtro Central FUSATI como a facilidade de instalação, a economia de energia elétrica (funciona apenas com a pressão da água), o recurso da retrolavagem, o funcionamento ‘by pass’ (para eventuais reparos ou manutenções) e o selo de garantia/segurança do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Água Tratada para o setor industrial

Já em situações que exigem grandes demandas de água tratada – por exemplo, indústrias e condomínios – a FUSATI projeta e instala Estações de Tratamento de Água (ETAs) pressurizadas, compactas e modulares.

As Estações Compactas de Tratamento de Água (ETA) e Tratamento de Esgoto (ETE) do Grupo FUSATI são ideais para condomínios, hospitais e estabelecimentos comerciais (hotel, lava-rápidos, clubes, restaurantes, hotéis, frigoríficos, shoppings) e também em todos os locais não atendidos pela rede pública.

As ETAs FUSATI são dispositivos ideais para indústrias, lavanderias, hospitais, hotéis, spas, shoppings, clubes, frigoríficos, instituições de ensino e outros estabelecimentos.

Em todos esses negócios, nossas Estações de Tratamento de Água (ETAs) se consolidaram como sinônimos de água tratada, potável e de alta qualidade, tanto para processos fabris quanto para o consumo seguro de grandes públicos.

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

O Que É Água Mineral?

O Que É Água Mineral?

Todos sabemos que a água é um recurso fundamental para a nossa saúde e sobrevivência. Contudo, nem sempre somos capazes de diferenciar os tipos de água apropriadas para o consumo humano. Falando nisso, você sabe exatamente o que é água mineral?

Na verdade, é bastante comum fazermos confusão entre os termos água tratada, água potável e água mineral.

Geralmente deixamos de lado as definições e nos preocupamos com o que realmente importa: a oferta de água que garante a nossa saúde, bem-estar e qualidade de vida.

Mesmo assim, vale salientar que, no Brasil, a água mineral é definida e regulamentada por um decreto-lei criado em 1945.

Essa legislação, denominada Código de Águas Minerais, lista os diferentes tipos de águas minerais, que variam conforme a sua composição química.

Além disso, esse decreto-lei fornece outras diretrizes quanto à autorização para exploração do recurso, instalação de estâncias hidrominerais, fiscalização, comercialização da água e outros aspectos.

A seguir, saiba mais sobre as águas minerais e também conheça as modernas e eficientes tecnologias de filtragem de água para residências e tratamento de água para condomínios, comércios e indústrias desenvolvidas pela FUSATI.

Água Mineral: Definição

A definição brasileira do que é água mineral foi estabelecida pelo Decreto-Lei Nº 7.841, de 8 de agosto de 1945, que é o Código de Águas Minerais.

Em seu Artigo 1º, o decreto-lei federal determina o seguinte:

Art. 1º Águas minerais são aquelas provenientes de fontes naturais ou de fontes artificialmente captadas que possuam composição química ou propriedades físicas ou físico-químicas distintas das águas comuns, com características que lhes confiram uma ação medicamentosa.

Lá na distante década de 40, o Código de Águas Minerais classificou o recurso natural em 12 categorias, de acordo com suas características químicas. A saber:

  • Oligominerais
  • Radíferas
  • Alcalino-bicarbonatadas
  • Alcalino-terrosas
  • Sulfatadas
  • Sulfurosas
  • Nitratadas
  • Cloretadas
  • Ferruginosas
  • Radioativas
  • Toriativas
  • Carbogasosas

A mesma legislação, contudo, salienta a distinção entre água mineral e “água potável de mesa”.

De acordo com o decreto-lei, águas potáveis de mesa correspondem às águas de composição normal provenientes de fontes naturais, ou de fontes artificialmente captadas, que preencham tão somente as condições de potabilidade.

Por falar nisso, hoje no Brasil os parâmetros de potabilidade da água estão listados no Anexo XX da Portaria de Consolidação Nº 5, do Ministério da Saúde (MS), de 28 de setembro de 2017.

Produção de Água Mineral no Brasil

Segundo um estudo da International Bottled Water AssociationIBWA (Associação Internacional de Água Engarrafada), em 2019 o Brasil ocupou a sexta posição no ranking dos maiores produtores de água mineral comercializada em galões, garrafas e copos.

Naquele ano, o país produziu 24,3 bilhões de litros de água. O número expressa um crescimento de 25% em relação aos 19,5 bilhões de litros de água mineral envasados em 2014.

A título de curiosidade, em 2019 os três maiores produtores de água engarrafada no mundo foram a China (112 bilhões/litros), os Estados Unidos (54 bilhões/litros) e o México (37 bilhões/litros).

Água Potável e Água Tratada

Bom, já que entramos no campo das definições, é pertinente explicarmos a diferença entre água potável e água tratada.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), água potável é aquela que – totalmente livre de agentes patogênicos e de altos níveis de substâncias tóxicas –  utilizamos para beber, cozinhar, preparar refeições e para a higiene pessoal.

Já a água tratada é aquela produzida em Estações de Tratamento de Água (ETAs), onde ela é higienizada e desinfetada numa série de etapas – coagulação, floculação, decantação, filtração e desinfecção – antes de ser distribuída à população ou utilizada na indústria.

Para resumir, a água potável pode ser natural (desde que extraída de alguma fonte segura, sem agentes contaminantes) ou tratada.

Guarde bem esta dica: toda água tratada é potável, mas nem toda água potável é tratada.

Filtro de Água Central: A Solução Residencial e Comercial

Para quem deseja água potável e tratada, seja para garantir a saúde da família no ambiente doméstico ou o bem-estar das pessoas em empresas, comércios e outros estabelecimentos, a melhor opção são os Filtros Centrais FUSATI.

Construídos em aço inox e equipados com sete camadas de elementos filtrantes (quartzo), os filtros de água da FUSATI se adequam perfeitamente a diferentes ambientes e necessidades.

São ideais para residências, condomínios, lojas, escritórios, consultórios e outros negócios que demandam água 100% tratada e segura para o consumo humano.

A família de filtros de água da FUSATI inclui modelos como Índico, Atlântico e Pacífico, aparelhos que são projetados para tratar vazões que vão de 800 litros por hora a 2000 litros/hora.

Esses filtros oferecem duas importantes vantagens: não consomem energia elétrica e possuem o funcional recurso da retrolavagem – que possibilita economia com manutenção e a substituição de peças/elementos filtrantes.

Mas além da versatilidade operacional e da economia, outro grande mérito de um Filtro Central FUSATI é o tratamento complementar da água distribuída pelas redes de abastecimento, que ocasionalmente podem apresentar instabilidade.

Filtro de Água Central • Casa, Residências, Condomínio, Prédio, Residencial e Empresas • FUSATI Filtro de Água • Tratamento de Água

Para ficar mais claro: os filtros de água FUSATI são instalados logo após a entrada de água do imóvel (depois do hidrômetro) e, a partir dessa localização estratégica, executam a filtragem de toda a água oriunda das ETAs municipais antes dela entrar no imóvel.

Isso assegura a distribuição de água potável e tratada em todos os pontos da planta hidráulica do imóvel.

Além disso, garante a integridade e o bom funcionamento de dispositivos como torneiras, registros, válvulas, chuveiros, máquinas de lavar, purificadores e outros eletrodomésticos que são abastecidos com água.

Tratamento de Água para a Indústria

A água tratada também é um insumo imprescindível para o setor industrial.

Diversos segmentos industriais dependem, e muito, da oferta de água de qualidade, ou seja, aquela absolutamente livre de impurezas e resíduos que podem comprometer seriamente o processo fabril.

Essa exigência é especialmente válida em indústrias farmacêuticas, de bebidas, de alimentos e de produtos químicos, nas quais a água é uma matéria-prima estratégica.

Nesse tipo de fábrica, o controle da qualidade da água precisa ser muito criterioso.

Quando isso não acontece, a utilização de água contaminada pode provocar alterações nas características/propriedades de produtos como, por exemplo, laticínios, carnes, embutidos, molhos, sucos, refrigerantes, cervejas, remédios, vacinas e soros.

Para essas e outras indústrias, a FUSATI projeta e instala Estações de Tratamento de Água (ETA) customizadas para atender demandas hídricas específicas.

A FUSATI comercializa sistemas industriais de tratamento de água pressurizados, compactos e modulares que garantem o sucesso e a segurança do processo produtivo das empresas.

Sistema de Tratamento de Água Não Potável. Considera-se água potável a água de origem do sistema público de saneamento e Água Não potável a água de origem de poços, chuva, rios, lagos, entre outras.

As eficientes e modernas ETAs FUSATI oferecem inúmeras vantagens financeiras, operacionais e relacionadas à sustentabilidade. Algumas delas são:

  • Distribuição de água tratada e adequada para o processo fabril
  • Continuidade do fluxo de água de qualidade
  • Unidades modulares, compactas e pressurizadas
  • Capacidade de adaptação em diferentes espaços disponíveis
  • Custo de manutenção reduzido
  • Geração de água de reúso
  • Fácil instalação, operação e manutenção
  • Baixo consumo de energia elétrica
  • Construção e instalação em conformidade com normas técnicas, de segurança e leis ambientais

Ligue para a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

Agricultura Consome 52% da Água Captada no Brasil

Agricultura Consome 52% da Água Captada no Brasil

Um estudo experimental divulgado recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou que a agricultura brasileira é responsável pelo consumo de 52% da água captada de corpos hídricos superficiais e subterrâneos do país.

Esse extraordinário volume de água bruta – que corresponde a 1.084 m³/s – é coletado de mananciais distribuídos por diversos biomas brasileiros para, depois, ser utilizado na irrigação de áreas produtivas.

Claro, esse gigantesco consumo de água em nossas plantações de soja, café, cana-de-açúcar, feijão, milho e outras culturas é imprescindível por duas razões centrais.

Primeiro porque o agronegócio põe comida na mesa do brasileiro, contribuindo com a qualidade de vida, a saúde e o bem-estar da população.

Mas também porque o setor é o carro-chefe da economia nacional, sendo responsável pela geração de empregos, exportações e por 21,4% do Produto Interno Bruto (PIB). 

Por outro lado, a estatística que traduz a “enorme sede” da agricultura nacional alerta que é urgente a necessidade do uso racional da água nas outras frentes de consumo de água.

Quer dizer, essa preocupação deve ser constante e progressiva nos outros setores (sociais e produtivos) que, juntos, dependem do restante de água bruta captada no país (48%). 

Isso vale principalmente para a população das grandes cidades (responsável por 24% do consumo de água) e para a indústria de transformação, que utiliza 9% do total de água bruta retirada de rios, lagos, poços e outras fontes.

No caso da indústria, o setor precisa cada vez mais otimizar o uso da água em suas atividades produtivas, inclusive privilegiando o uso de fontes hídricas alternativas como a água de reúso.

IBGE: Captação e Uso da Água no Brasil

Antes de tudo, cabe aqui uma definição: “água azul”, o termo utilizado no estudo do IBGE, diz respeito à água disponível nos corpos hídricos superficiais e subterrâneos (Hoekstraet al., 2011).

Dito isto, também vale observar que este material do IBGE é, na verdade, a investigação experimental “Contas de Ecossistemas – Condição dos Corpos Hídricos (2010/2017)”. Isso significa que suas estatísticas, embora esclarecedoras, ainda estão em fase de teste e sob avaliação.

De qualquer maneira, o IBGE quantificou o volume de água captada em seis biomas – Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal – e sua utilização em sete áreas: agricultura irrigada, abastecimento animal, mineração, indústria de transformação, termoeletricidade, abastecimento humano urbano e abastecimento humano rural.

O diagnóstico geral foi o seguinte: a pressão no ecossistema, provocada pela captação de água azul, aumentou bastante no período pesquisado.

Para se ter ideia, entre 2010 e 2017 a demanda global hídrica global (das sete áreas analisadas) cresceu 13%, passando de 1.843 m³/s para 2.083 m³/s. 

O material do IBGE confirmou que a agricultura irrigada é o setor que mais consome água azul no país (52%). E que a Mata Atlântica é o bioma que mais fornece água para o conjunto das sete áreas pesquisadas, com um total de 818 m³/s.

Depois da agricultura irrigada, o setor que mais retirou e  consumiu água azul dos biomas foi o abastecimento humano urbano (24%), seguido da indústria de transformação (9%), abastecimento animal (8%), termoeletricidade (4%), abastecimento humano rural (2%) e mineração (1%). 

Proporção da captação direta de água por parte dos setores no Brasil.

2010 e 2017

Fonte: IBGE. Diretoria de Geociências. ANA. Superintendência de Planejamento de Recursos Hídricos.

Gestão Otimizada da Água na Indústria

De acordo com o levantamento do IBGE, a demanda hídrica da indústria nacional é de 189 m³/s.

Toda essa água é bombeada para dentro das indústrias e, basicamente, é utilizada de duas formas: como insumo essencial à fabricação de determinados produtos (como alimentos, bebidas e medicamentos) e como recurso necessário para rotinas industriais (resfriamento, lavagem de máquinas, descarga de sanitários e outras).

Hoje, contudo, a gestão dessa água empregada na indústria precisa ser otimizada ao máximo. Sobretudo porque vivemos tempos de bastante preocupação devido às mudanças climáticas globais e as recentes crises hídricas registradas no país. E no nosso caso, também é preciso considerar que a agricultura consome mais da metade da água bruta coletada no Brasil.

O zelo com a água, portanto, é uma questão estratégica para as empresas que desejam manter sua saúde financeira, competitividade e compartilhar sua ética ambiental com consumidores e a comunidade.

A FUSATI desenvolve soluções de filtragem e tratamento de água que melhoram a performance das indústrias na área da gestão hídrica.

Os equipamentos e sistemas do catálogo da FUSATI garantem a qualidade da água em todas as etapas de seu ciclo – desde a captação de água bruta dos mananciais (“água azul”) até a devolução de efluentes industriais e esgotos devidamente tratados à natureza, sem causar impactos ambientais.

Para plantas industriais e negócios comerciais, a FUSATI desenvolve unidades compactas, modulares e pressurizadas de:

Modernos, seguros e totalmente customizados, esses sistemas de tratamento garantem inúmeras vantagens como o atendimento de demandas/vazões específicas, a adequação em relação ao tipo de água utilizada na fábrica (de abastecimento, rio ou poço) e a ocupação racional e planejada de espaços físicos disponíveis.

Água de Reúso: Alternativa Hídrica Racional e Econômica

Outro diferencial das Estações de Tratamento de Água (ETA), Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) e Estações de Tratamento de Efluentes Industriais (ETEI) com a marca FUSATI é a geração da preciosa água de reúso.

Além do ganho ambiental, que é a poupança dos recursos hídricos, a água de reúso é uma fonte alternativa que gera uma substanciosa economia às empresas.

Tratamento de Água de Reúso + Filtro de Água Central • Hotel • Campos do Jordão/SP

Isso porque pode ser empregada em ações como resfriamento de equipamentos, lavagem de máquinas, frotas, pisos e pátios, irrigação de áreas verdes, descarga de sanitários e geração de energia elétrica. 

A água de reúso já é reconhecida pelo setor industrial como um recurso indispensável para o futuro sustentável da sociedade e das empresas.

Tanto que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) reivindica a regularização do reúso da água para reaproveitamento em atividades fabris.

A entidade aposta na água de reuso como fonte renovável e garante que investimentos na área podem gerar R$ 5,9 bilhões à economia e 96 mil vagas de trabalho.

Por enquanto, as oportunidades de lucro relacionadas ao reúso ainda são pouco exploradas no Brasil e no mundo.

Só para ilustrar, nosso país produz apenas 2 m³/s de água de reúso, um volume ínfimo diante dos 2.083 m³/s de água azul que são retirados de fontes hídricas superficiais e subterrâneasesgo.

Por falar nisso, como é o aproveitamento da água de reúso na sua empresa? Ela ainda é um recurso pouco valorizado e sem finalidade no seu negócio?

Consulte a FUSATI e conheça os nossos sistemas de tratamento de água, esgotos e efluentes industriais + geração de água de reúso, tecnologias que combinam eficiência, economia e sustentabilidade e que já fazem parte do cotidiano de mais de 50 mil clientes distribuídos pelo Brasil.     

Fale com a gente!

 

Ligue para a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

FUSATI Renova sua Identidade Visual

FUSATI Renova sua Identidade Visual

Com design ‘leve, fluido e moderno’, a nova peça de identidade visual mira o futuro mas também celebra a trajetória e os valores da FUSATI

A FUSATI está de cara nova. A companhia brasileira – referência no setor de filtro de água e soluções de tratamento de água, esgotos e efluentes industriais – está lançando e apresentando ao mercado o seu novo logo.

A nova representação gráfica da FUSATI é uma das estratégias de reposicionamento da empresa no mercado nacional.

Com design fluido, leve, moderno e harmonioso, o repaginado logotipo será, a partir de agora, o principal elemento de identidade visual da empresa que possui mais de 50 mil clientes (residenciais, comerciais e industriais) distribuídos pelo Brasil.

Vai acompanhar a FUSATI em seus projetos, ações de relacionamento com o consumidor (canais de atendimento, plataformas digitais, revendas e assistências técnicas autorizadas), parcerias institucionais, desafios e conquistas futuras.

O CONCEITO

A água foi o ponto de partida para o desenvolvimento do novo logo da FUSATI.

O recurso essencial à vida inspirou a criação da nova identidade visual da FUSATI, que expressa leveza, crescimento e flexibilidade – valores cultuados pela empresa desde sua fundação, em 1983.

O diálogo com a história da companhia, e sua vocação no desenvolvimento de soluções sustentáveis, se estende à escolha das cores. O verde e azul que, respectivamente, representam o meio ambiente e a água.

A gota d’água, por sua vez, simboliza a água limpa e a qualidade das soluções e serviços de filtragem e tratamento de água oferecidos pela FUSATI.

Além de acenar para o futuro, o renovado logotipo e seu conjunto de significados ainda fazem jus à trajetória, excelência e credibilidade da FUSATI, empresa criada e instalada no município de Piracicaba (SP).

“O novo logo foi concebido para representar nossa missão de fornecer soluções completas de filtração, potabilização e tratamento de efluentes, melhorando a qualidade de vida, a proteção da saúde das pessoas e contribuindo com a conservação dos recursos hídricos. Além disso, o logo expressa o legado construído pela FUSATI ao longo de quatro décadas.”

explica Luciane Prado, diretora da FUSATI

O portfólio da FUSATI, acrescenta Luciane, engloba equipamentos e sistemas de tratamento de água, esgoto e efluentes industriais comprovados por sua tecnologia, versatilidade e segurança operacional.

Com o redirecionamento de sua principal ferramenta de comunicação, a FUSATI prossegue em contínua evolução e a passos largos em direção ao futuro, sempre atenta às transformações do mercado e às mudanças sociais, digitais e ambientais.

Contudo, sem renunciar seus valores institucionais, visão de mundo e sua principal missão: a oferta de produtos e tecnologias sustentáveis que garantem a melhoria da qualidade de vida das pessoas (água 100% tratada e potável!), a proteção da saúde pública e a preservação dos recursos naturais. 

A EMPRESA

A FUSATI é uma companhia paulista,  fundada e instalada no município de Piracicaba (SP), em 1983.

É uma organização 100% brasileira, de capital fechado e com atuação comercial em todo o país.

Na sua linha de frente de produtos estão os versáteis modelos de Filtros de Entrada Retrolavável, que equipam residências, lojas, condomínios, indústrias, hotéis, hospitais, spas, escolas, lavanderias e outros estabelecimentos que necessitam do abastecimento de água segura e potável para seus clientes e rotinas diárias.          

Para o segmento industrial, a FUSATI projeta e implanta modernas e eficientes Estações de Tratamento de Água (ETA), Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) e Estações de Tratamento de Efluentes Industriais (ETEI).

Modulares, compactas e customizadas, essas unidades de tratamento atendem as necessidades de indústrias de vários segmentos. Especialmente a exigente demanda de água tratada, e de qualidade, das companhias de alimentos, bebidas, medicamentos e produtos químicos. 

As ETAs, ETEs e ETEIs são equipamentos que otimizam o processo fabril e, simultaneamente, atendem às exigências legais vigentes (técnicas e ambientais).

São fundamentais para a competitividade das empresas e a melhoria da qualidade da água filtrada e saneamento básico. Além disso, são geradoras da preciosa água de reúso, insumo indispensável à prática da economia circular.

Podemos ajudar! Fale com um especialista em Tratamento e Filtros de Água.