Estudo de Caso: Tratamento de Água para a Indústria de Alimentos

Estudo de Caso: Tratamento de Água para a Indústria de Alimentos

Um poço artesiano é aquele construído para possibilitar que a água do subsolo suba para a superfície através da pressão feita pela corrente d’água.  A perfuração do poço artesiano é feita, portanto, em grande profundidade para conseguir capturar a água dos lençóis aquíferos do subsolo.  Importante fator a ser avaliado em relação ao uso para consumo humano ou para processos industriais de água oriunda de poços artesianos é a qualidade dessa água. Isso porque atualmente constatamos o aumento de risco de contaminação das águas subterrâneas, principalmente em razão do excesso da presença de metais nessa água como ferro e manganês, além da crescente poluição de mananciais subterrâneos.

Assim, é primordial que haja uma correção de compostos químicos e físicos contidos na água de poço artesiano para conseguir atingir potabilidade.

Presença de Ferro e turbidez na Água: DESAFIO FUSATI

Água Sem Tratamento. Excesso de ferro deixa a água turva e com odor insenso.

Acionada para solucionar problemas enfrentados por um cliente que atua no segmento industrial de alimentos processados em relação à qualidade da água proveniente de poço artesiano, a FUSATI apresentou como solução um Sistema de Tratamento de Água FUSATI  para a desinfecção e remoção de metais.

A problemática do cliente estava relacionada à presença de turbidez e Ferro na água, comumente encontrados em poços artesianos em todo o Brasil. A água proveniente do poço artesiano que abastece a indústria apresentava um alto índice de Ferro (cerca de 5 ppm), que além de danos materiais como, por exemplo, manchas em utensílios sanitários e porcelanas, também não poderia ser utilizada no processo industrial uma vez que o excesso de Ferro no organismo ao longo dos anos acarreta malefícios para saúde dos consumidores.

Os requisitos de qualidade das águas subterrâneas utilizadas em processos industriais variam, havendo diferentes especificações e critérios estabelecidos pela legislação vigente para cada tipo de indústria. No entanto, é certo que o teor excessivo em Ferro pode afetar algumas finalidades industriais e que as águas contaminadas necessitam de correção.

Sistema de Tratamento de Água: SOLUÇÃO FUSATI

A FUSATI realizou esta correção com a aplicação de um Sistema de Tratamento de Água  para a desinfecção e remoção de metais (Ferro e Manganês).

A solução de tratamento formada pelos seguintes equipamentos:

  • Dosadoras automáticas digital;
  • Sensor de leitura;
  • Misturador estático;
  • Manômetros;
  • Ventosa;
  • Sistema Bypass;
  • Filtros Retrolaváveis em inox 304 com zeólita em paralelo.
Calibração do Sistema de Filtração de Água
Sistema de Tratamento de Água para uma Industria de Alimento

Com a eficiência 98,80% do Sistema de Tratamento de Água FUSATI a concentração de Ferro na água foi reduzida de 5ppm para aproximadamente 0,08 ppm e a água passou a atender os padrões exigidos pela legislação vigente. Além disso, impurezas sólidas foram retiradas e a cor e turbidez foram significativamente reduzidas. Com tecnologia avançada e equipe técnica qualificada, a FUSATI pode solucionar de forma eficaz um problema comum entre as empresas do setor industrial.

Consulte-nos!

Imagens: Grupo FUSATI

Filtro Para Cavalete ou Filtro Central De Água?

Filtro Para Cavalete ou Filtro Central De Água?

Muitas dúvidas podem surgir na hora de escolher o filtro de água mais adequado às suas necessidades. Isso porque o mercado de filtros de água cresce a cada dia e, com isso, cada vez mais novos produtos e tecnologias são apresentados aos consumidores.

A melhor escolha para filtro de água, no entanto, depende de uma avaliação do ambiente físico, da forma de captação de água, melhorias na qualidade da água e das necessidades específicas para o tratamento da água. Uma análise econômica, visando buscar o melhor custo-benefício de determinado produto também é fundamental para se auferir bons resultados.

Para ajudá-los nesta escolha o presente artigo apresenta as funcionalidades e as vantagens de dois tipos de filtros de água / Filtros POE (aparelhos de ponto de entrada) bastante conhecidos no mercado: filtro de polipropileno ou filtro de cartucho e filtro para cavalete ou filtro para caixa d’água e filtro de água central.

Filtro de Cartucho ou Filtro De Polipropileno

O filtro de cartucho ou filtro de polipropileno, para o uso residencial, deve ser instalado antes do reservatório de água e após o hidrômetro. Em geral, o filtro de cartucho ou filtro de polipropileno é indicado somente para retenção de partículas acima de 10 a 250 Micra. Micra – plural de Micron ou Micrômetro – é a unidade de medida no sistema métrico que equivale à milésima parte de um milímetro, utilizada para indicar o grau de filtração, ou seja, a capacidade de um filtro remover contaminantes pelo tamanho das partículas sólidas. No caso do filtro de cartucho ou filtro de polipropileno, portanto, somente as partículas sólidas com tamanho maior que 10 a 250 Micra são retidas, depende do cartucho utilizado.

Muito embora este tipo de filtro possa apresentar em primeira análise uma vantagem econômica em razão do baixo valor de aquisição em comparação a outros, deve-se considerar a necessidade de troca de refil pelo menos a cada três meses de utilização, quando passa a ocorrer redução significativa da vazão da água. Além disso, é relevante saber que este filtro não torna a água própria para o consumo, apenas melhora a qualidade da água já tratada e fornecida pelo abastecimento público da cidade.

Filtro Central de Água ou Filtro para Cavalete Ou Filtro para a Caixa D’água

O filtro central de água, também conhecido como filtro de agua residencial externo / filtro para cavalete / filtro para a caixa d’água, por sua vez, possui algumas vantagens em relação ao filtro de cartucho. Uma delas é a possibilidade de retrolavagem ou autolimpeza, processo que consiste na passagem da água através do filtro em sentido contrário ao fluxo de filtragem com o objetivo de remover partículas sólidas retidas no meio filtrante. O processo da retrolavagem prolonga consideravelmente a vida útil do elemento filtrante, sendo a sua durabilidade de um período aproximado de 3 a 5 anos, desde que efetuada a retrolavagem constantemente. Somente após este período, portanto, é que se fará necessária a troca de refil, tendo como variante a qualidade da água que abastece o filtro de entrada.

A instalação do filtro central de água ou filtro para cavalete ou filtro para a caixa d’água também ocorre antes do reservatório de água e após o hidrômetro e o grau de filtração pode ser bem mais eficiente que o filtro de cartucho ou filtro de polipropileno.

FILTRO DE ÁGUA FUSATI

Benefícios dos Filtros de Água FUSATI. Não Consome Energia Elétrica, 5 anos da vida útil do elemento filtrante, Retrolavável, Estrutura em Aço Inox 304

O filtro central de água FUSATI apresenta uma excelente solução de filtragem. Com a função de filtrar toda a água da sua residência, garante de forma eficiente e econômica a qualidade da água. A filtragem ocorre logo na entrada da casa e com isso traz a vantagem de se obter água tratada em todos os pontos de uso. A caixa d’água mantém-se limpa, os equipamentos eletrodomésticos que utilizam água ficam protegidos e a saúde dos moradores é consequentemente preservada por meio de uma água filtrada e cristalina.
Além disso, destacamos abaixo outras vantagens do filtro central de água FUSATI:

AUTOLIMPANTE e RETROLAVAGEM

Retrolavável e Autolimpante: Mais Economia

Através do processo de retrolavagem, o filtro de água de entrada mantem-se eficiente por muito mais tempo e a economia de recursos é consequência imediata.

O sistema manual de retrolavagem dos filtros de água FUSATI é bastante simples, e também, opcionalmente, pode ser automatizado, sem a necessidade de intervenção manual.

GRAU DE FILTRAÇÃO

O grau de filtração do filtro de água potável central FUSATI é de aproximadamente 5 a 15 Micra (0,005 a 0,015 milímetros), o que significa uma água mais leve e transparente, com retenção de partículas sólidas consideravelmente menores que um fio de cabelo.

AÇO INOX

Modelos de Filtros de Água Central e de Entrata FUSATI

Fabricado em aço inoxidável 304 ou 316, o filtro central de água FUSATI tem resistência superior às ligas de aço comum e é resistente à corrosão, não enfraquecendo com o passar do tempo pela ação de sol e chuva e apresentando, portanto, grande vida útil.

ALTA VAZÃO

Destaca-se pela capacidade de filtrar mais água em menos tempo, garantindo uma alta performance.

Carvão Ativado e Automatização: OPCIONAIS

Modelos para diferentes vazões, automatizados e com carvão ativado para remoção ou diminuição do Cloro

Com os opcionais de Autolimpeza Automatizada e Carvão Ativado para remoção do Cloro, as especificidades de cada cliente poderão ser plenamente atendidas.

A combinação de todos esses elementos garante a alta performance do filtro central de água potável FUSATI e a economia de recursos que tanto se busca nos dias atuais.

Conheça as nossas soluções de filtros de água. A FUSATI é uma empresa de sólida reputação que há mais de 35 anos dedica-se a melhorar a qualidade da água. É referência no mercado e oferece soluções personalizadas com o melhor custo-benefício do mercado.

Entre em contato pelo e-mail fusati@fusati.com.br, pelo Whats App (19) 99608-0239 ou pelo telefone (19) 3301-6666 para auxiliarmos você.

Filtro e Tratamento de Água para Cerveja

Filtro e Tratamento de Água para Cerveja

Em 2018 o Brasil contabilizou o funcionamento de quase 900 cervejarias em território nacional. A informação consta no Anuário da Cerveja no Brasil do ano passado, publicado pelo MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O cenário é analisado como um mercado em expansão e o MAPA tem se empenhado em desburocratizar registro do produto – vide instrução normativa 72 de 16 de novembro de 2018.

Só no ano passado, o MAPA recebeu quase 7.000 pedidos de registros de chope ou cerveja – número que ganha disparado de outros produtos como polpa de fruta ou vinho. Se há mercado e facilidades, qual é a principal preocupação do empresário ao fabricar sua cerveja com nível de excelência? A resposta é a água, já que ela corresponde a 90% do produto.

Densidade de Microcervejarias por Município

O mercado cervejeiro brasileiro está em um momento de expansão. A água é o principal ingrediente para a fabricação da Cerveja. A FUSATI possui soluções para Filtro de Água e tratamento da água inclusive de poços e minas.

Como Deve Ser a Água Ideal para a Cerveja?

Uma cervejaria precisa trabalhar com água em abundância: para cada litro do produto final são utilizados até 10 litros de água. Fácil concluir que o tratamento da água é de suma importância para se obter uma cerveja de qualidade. Uma boa cerveja deve ter como matéria-prima um padrão de água seguindo índices de potabilidade, incluso análise microbiológica e de turbidez. A água tratada pelo sistema público não deve ser utilizada porque há outros parâmetros para a indústria alimentícia quanto às características físicas, químicas e organolépticas.

SOLUÇÃO: Filtro de Água FUSATI

O filtro de água FUSATI foi desenvolvido para prevenir a variação na qualidade da água e a tornar potável ou utilizável, independente de ser de água de poço, mina de água ou abastecimento público (veja mais abaixo). Com equipamentos de alta qualidade e eficiência, os filtros de água FUSATI retêm possíveis partículas como areia, barro, poeira, lodo, sedimentos menores do que um fio de cabelo. A tecnologia também atua na redução ou remoção de ferro e manganês da água.

No campo das soluções personalizadas da FUSATI, além da alta tecnologia, a empresa oferece Tratamento Avançado e Ultrafiltração, tecnologia nacional desenvolvida pela engenharia da FUSATI.  Há mais de 35 anos comercializando e desenvolvendo tecnologias para o tratamento da água, a FUSATI tem soluções personalizadas para sua linha de filtros industriais. Os filtros de água comercial e industrial da marca são produzidos em aço inox AISI – 304 com certificado de procedência e com o melhor custo benefício do mercado.

Somada à garantia da qualidade da água, a FUSATI projeta seus equipamentos de forma a proporcionar economia de manutenção ou troca de peças. Desta forma, ficam reduzidas as interferências nos processos de fabricação. O filtro é retrolavável e não consome energia.

Cloro não!

A FUSATI possui um sistema para remover o cloro da água. Para as cervejarias esta é uma etapa importante porque a remoção da substância garante que não haverá interferências no cheiro ou no paladar, e também não provocará reações indesejáveis com outros ingredientes da receita. O declorador da FUSATI é a tecnologia ideal para o produto final da cerveja.

Água de Poço ou Mina

Se você pensa em utilizar este tipo de água para fabricar sua cerveja, é preciso atenção. É preciso ter muito cuidado com poluição e necessidades de correção da água para uso na área alimentícia. O filtro para poço artesiano da FUSATI conta com processo de desinfecção a partir da dosadora automática de cloro e de sistema ultravioleta ou ozônio. A solução projetada pela marca para este tipo de água ainda conta com:

redução de ferro e/ou manganês da água, com um sistema que ocupam um pequeno espaço;

– elimina a possibilidade da água amarelada e turva;

– vida útil de três anos para os elementos filtrantes – desde que seja realizada as manutenções e retrolavagem constantes;

– retrolavagem feita somente com água, sem a necessidade de energia elétrica ou produtos químicos.

Consulte a FUSATI !

 

Fonte:

https://revistabeerart.com/news/cervejarias-brasil

http://www.ufrgs.br/alimentus1/feira/mpoutro/%C3%A1gua/%C3%A1gua_na_cervejaria.htm

 

O Que é Demanda Biológica de Oxigênio (DBO)?

O Que é Demanda Biológica de Oxigênio (DBO)?

Demanda Biológica de Oxigênio (DBO) é a quantidade de oxigênio consumida por microrganismos presentes em determinada amostra de um efluente como, por exemplo, o esgoto doméstico e o industrial. É o parâmetro mais utilizado para medir o nível de poluição das águas uma vez que esses microrganismos (bactérias aeróbias, por exemplo) realizam a decomposição da matéria orgânica no meio aquático por meio de processos oxidativos, sobretudo pela respiração. Novos compostos são transformados a partir dos compostos orgânicos juntamente com o gás oxigênio por meio da catalisação de reações de oxidação desses microrganismos.

A redução da taxa de oxigênio dissolvido no meio aquático indica, portanto, uma atividade bacteriana decompondo matéria orgânica.

Assim, consideram-se poluídas as águas que apresentam alta DBO, uma vez que esta quantidade de oxigênio é utilizada na decomposição de compostos orgânicos. Quando há grande demanda de oxigênio, portanto, é possível observar a mortalidade de peixes e outros organismos aquáticos e, via de consequência, o desequilíbrio nesses ambientes.

Ao contrário, quanto mais baixa a DBO, mais limpa é a água e não haverá sinal de degradação dos ambientes aquáticos.

A Demanda Biológica de Oxigênio também é um parâmetro importante para dimensionar e indicar a eficiência das Estações de Tratamento de Efluentes (ETE). Isso porque, ao se comparar a DBO do esgoto bruto e do efluente final é possível verificar se a matéria orgânica está sendo consumida e se o descarte não vai causar nenhum desequilíbrio.

As Estações de Tratamento de Efluentes devem atuar para reduzir a carga orgânica e, consequentemente a DBO.

Legislação Aplicável

A RESOLUÇÃO Nº 430, DE 13 DE MAIO DE 2011, que dispõe sobre os parâmetros, condições, padrões e diretrizes para gestão do lançamento de efluentes em corpos de águas receptores, alterou parcialmente e complementou a RESOLUÇÃO Nº 357, DE 17 DE MARÇO DE 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA, a qual “dispõe sobre a classificação e diretrizes ambientais para o enquadramento dos corpos de águas superficiais, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes”.

De acordo com o artigo 16 desta Resolução do CONAMA:

Os efluentes de qualquer fonte poluidora somente poderão ser lançados diretamente no corpo receptor desde que obedeçam as condições e padrões previstos neste artigo, resguardadas outras exigências cabíveis:

I – condições de lançamento de efluentes:

  1. a) pH entre 5 a 9;
  2. b) temperatura: inferior a 40°C, sendo que a variação de temperatura do corpo receptor não deverá exceder a 3°C no limite da zona de mistura;
  3. c) materiais sedimentáveis: até 1 mL/L em teste de 1 hora em cone Inmhoff. Para o lançamento em lagos e lagoas, cuja velocidade de circulação seja praticamente nula, os materiais sedimentáveis deverão estar virtualmente ausentes;
  4. d) regime de lançamento com vazão máxima de até 1,5 vez a vazão média do período de atividade diária do agente poluidor, exceto nos casos permitidos pela autoridade competente;
  5. e) óleos e graxas: 1. óleos minerais: até 20 mg/L; 2. óleos vegetais e gorduras animais: até 50 mg/L;
  6. f) ausência de materiais flutuantes; e
  7. g) Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO 5 dias a 20°C): remoção mínima de 60% de DBO sendo que este limite só poderá ser reduzido no caso de existência de estudo de autodepuração do corpo hídrico que comprove atendimento às metas do enquadramento do corpo receptor;” (Grifos Nossos).

Assim, de acordo com a legislação aplicável, antes que um efluente seja lançado no corpo receptor deverá haver uma redução mínima de 60% na DBO. Monitorar e adotar medidas para a redução da DBO são, portanto, medidas essenciais em uma ETE, afinal um efluente contaminado poderá causar grandes danos nos ecossistemas. Os efluentes ao adentrar uma ETE passam pelo tratamento primário, constituído basicamente por processos físico-químicos e em seguida são encaminhados ao tratamento secundário, que consiste justamente no tratamento biológico através da ação de microrganismos que decompõem a matéria orgânica poluente através do processo respiratório e reduzem a DBO. Quando realizado adequadamente, o tratamento secundário permite atingir a conformidade de um efluente com a legislação aplicável.

O tratamento biológico em uma ETE é processo o mais eficiente para a remoção da matéria orgânica dos efluentes e o uso de sua técnica requer, entre outras ações, o controle da vazão, a recirculação dos microrganismos decantados e fornecimento de oxigênio. Dentre os fatores que podem impactar esta técnica estão o pH, temperaturas, disponibilidade de nutrientes, presença de elementos tóxicos, insolação e oxigênio.

Estações de Tratamento de Água Compactas FUSATI

Para o tratamento de esgoto sanitário em residências, condomínios, restaurantes, hotéis, pousadas e outros estabelecimentos similares, as ETE’s compactas tem sido altamente recomendadas pelas áreas técnicas especializadas em tratamento de água. Seguindo os mesmos processos de tratamento de uma ETE convencional, a ETE compacta apresenta menores dimensões para atender a baixas vazões, com o diferencial da economia de espaço. Conheça as soluções de Estações de Tratamento de Água e Estações de Tratamento Compactas FUSATI.

A FUSATI é uma empresa de sólida reputação, tradicional e há mais de 35 anos dedica-se a melhora da qualidade da água. É referência no mercado e oferece soluções personalizadas industriais e comerciais com o melhor custo-benefício do mercado.

Entre em contato pelo e-mail fusati@fusati.com.br, pelo Whats App (19) 99608-0239 ou pelo telefone (19) 3301-6666 para auxiliarmos você

Decantadores

Decantadores

O Que São e Como Funcionam

Decantadores são equipamentos aplicados na remoção de partículas sólidas ou Iodos em suspensão presentes na água e nos efluentes sanitários e industriais por meio de forças gravitacionais. Com a ação da gravidade cada composto vai se depositando por camadas, do mais denso ao menos denso, até que todos estejam separados. São utilizados usualmente em estações de tratamento de água e efluentes, mas também podem ser utilizados na lavagem de veículos e processos industriais variados. Quando aplicados para a remoção de sólidos mais pesados são denominados decantadores PRIMÁRIOS e quando aplicados no tratamento biológico ou secundário do efluente são denominados decantadores SECUNDÁRIOS.

Em uma ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA (ETA), a decantação é uma das fases do processo de tratamento da água. Dentre os vários modelos de decantadores aplicados em Estações de Tratamento de Efluentes, destacam-se os decantadores LAMELARES (ou decantadores tubulares ou de alta taxa) por apresentarem alta taxa de escoamento e por possibilitarem, na maioria das vezes, menor custo de construção em comparação aos decantadores convencionais. Esses decantadores são um aperfeiçoamento dos sedimentadores com fundos múltiplos, desenvolvidos após a evidência técnica de que a eficiência do taque de sedimentação depende de sua área e não de sua profundidade.

O dimensionamento e instalação do módulo de decantação no interior dos decantadores lamelares deve ser, portanto, ponto de atenção para se tratar a quantidade de efluentes industriais gerados e atingir a redução desejada na turbidez. O que os difere dos decantadores convencionais é justamente o emprego de placas ou módulos nos seus interiores. Quando comparados sob a mesma condição operacional, os decantadores lamelares apresentam resultados de eficiência de remoção de turbidez superiores aos decantadores convencionais. Podem ser adequados para operar com partículas de diferentes densidades, desde lama de fosfato, considerada leve até sedimentação de resíduos de mineração, considerados de maior densidade.

Além disso, apresentam menor tamanho e volume, são de fácil instalação e baixa manutenção.
Assim, a escolha de decantadores lamelares pode reduzir significativamente os custos indiretos como eficiência no tratamento de efluentes, despesas de transporte e área ocupada para instalação.

Dentre suas aplicações, citamos os sistemas de tratamento de água; tratamento de águas pluviais; tratamento de água de reuso; tratamento biológico; tratamento físico-químico; precipitação de compostos metálicos e efluentes de difícil decantação.

Decantadores Lamelares FUSATI

Os decantadores Lamlares FUSATI podem ser aplicados a elevados níveis de tratamento e são de fácil e rápida instalação. Construídos com o mais alto rigor técnico e com matéria-prima de acordo com as normas aplicáveis, se traduzem em ótimas soluções para a fase da decantação.

Decantação Lamelar pode ser empregada em todos os processos em que há geração de Iodo que necessita ser removido, e, suas dimensões são especificadas em função das taxas de escoamento superficial, conforme o tipo e as características do efluente.

Decantação Lamelar pode ser empregada em todos os processos em que há geração de Iodo que necessita ser removido, e, suas dimensões são especificadas em função das taxas de escoamento superficial, conforme o tipo e as características do efluente.

A FUSATI tem a solução ideal para o tratamento da sua água. São mais de 30 anos de experiência desenvolvendo soluções personalizadas e com alta tecnologia para tratamento de água, efluentes industriais e domésticos, reuso de água com tecnologias limpas. Atuante em todo território nacional desde o projeto, fabricação, montagem e operação de estações de tratamento.

Entre em contato com a FUSATI para que nossa equipe faça um orçamento personalizado.

Envie e-mail para fusati@fusati.com.br, ou se preferir, fale com a FUSATI pelo WhatsApp (19) 99608-0239 ou pelo telefone (19) 3301-6666.

Podemos ajudar! Fale com um especialista em Tratamento e Filtros de Água.
Powered by