Tratamento Preventivo de Água Residencial

Tratamento Preventivo de Água Residencial

Problemas com o fornecimento de água pública, crises hídricas, poluição dos mananciais e a presença de fatores contaminantes na água são aspectos que reforçam, a cada dia, a importância do tratamento preventivo de água residencial.

A água potável é um bem imprescindível para a manutenção da saúde e do bem-estar das pessoas. Mas este recurso essencial à vida humana está cada vez mais ameaçado por fatores climáticos, escassez, poluição e complicações no processo de tratamento da água.

Tudo isso, naturalmente aumenta a nossa preocupação em relação à água que consumimos em casa.

Afinal, no ambiente doméstico a água potável – e devidamente tratada! – garante a saúde das famílias, oferecendo segurança sanitária para necessidades como ingestão, cozimento de alimentos e higiene pessoal (banhos, escovação de dentes, lavagem das mãos e outras ações).

Risco na Água Tratada

Até mesmo a água tratada e distribuída nas cidades pode conter substâncias contaminantes e nocivas à saúde.

Num estudo realizado recentemente na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), pesquisadores desenvolveram um método capaz de identificar a presença de uma substância de potencial cancerígeno na água, a N-nitrosodimetilamina (NDMA).

Saiba mais aqui: https://link.springer.com/article/10.1007/s11356-021-12998-4

A NDMA é um tipo de nitrosamina, substância química gerada a partir de nitritos e aminas. Ela é encontrada na água e em alguns alimentos.

Em baixas quantidades a NDMA não provoca danos à saúde humana. Contudo, em concentrações mais elevadas ela é considerada um composto químico cancerígeno. E eventualmente, esta substância figura como um contaminante aquático formado durante o processo de higienização de água nas Estações de Tratamento de Água (ETA).

Trocando em miúdos, as nitrosaminas se formam durante o tratamento de água Isso ocorre, principalmente, devido à “trombada” entre determinados tipos de desinfetantes e substâncias presentes na matéria orgânica.

Devido a esse risco, a Portaria Nº 888 do Ministério da Saúde , de 4 de maio de 2021, que dispõe sobre “os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade”, estabelece que o valor máximo permitido de N-nitrosodimetilamina (NDMA) na água consumida no país deve ser de 0,0001 mg/L.

O método apresentado na pesquisa – que foi conduzida pela equipe do Laboratório de Química Ambiental (LQA), do Instituto de Química da Unicamp – provou eficácia na identificação de sete nitrosaminas durante o tratamento de água de abastecimento público.

Segundo o estudo, a NDMA foi a nitrosamina mais prevalente, com ocorrência em 89% das amostras coletadas. Além disso, a NDMA apresentou o maior nível de concentração, equivalente a 67 ng L−1, em comparação a outras seis nitrosaminas identificadas no trabalho científico.  

Prevenção Residencial: Filtro Central

Obviamente, o controle da presença da N-nitrosodimetilamina (NDMA) e de outras nitrosaminas na água é uma responsabilidade das autoridades sanitárias e de nossos gestores hídricos. Afinal, são eles que devem assegurar a análise das águas, a correção de parâmetros inadequados e o fornecimento de água potável e sem riscos à população.

Naturalmente, essa missão sanitária também conta com o suporte de estudos científicos (a exemplo da pesquisa citada, da Unicamp) para embasar decisões e o estabelecimento de padrões e níveis seguros de potabilidade.

Porém, na esfera doméstica também há outras ameaças presentes na água – substâncias contaminantes, orgânicas e inorgânicas – que logicamente precisam ser eliminadas. Ou seja, é fundamental o cuidado com a qualidade da água que nós e nossas famílias consumimos.

E no espaço residencial, a melhor escolha em termos de prevenção e fornecimento de água cristalina e segura é um Filtro de Água Central FUSATI.

Não é por acaso que a linha de Filtros Centrais com a fabricados pela FUSATI – empresa nacional instalada no município de Piracicaba (SP) – faz parte da rotina de mais de 50 mil clientes no Brasil, que optaram pela qualidade, tecnologia, credibilidade e vantagens operacionais de nossos produtos.

Vantagens do Filtro Central FUSATI

O sucesso dos Filtros de Água da FUSATI deve-se ao seu pacote de vantagens estruturais, sanitárias, operacionais e econômicas.

Construídos em aço inoxidável (inox 304 e inox 316), são aparelhos robustos e resistentes às diferentes condições climáticas. Essa blindagem metálica é ideal para garantir a sua integridade estrutural, pois são aparelhos geralmente instalados em áreas externas.

Cabe observar que o Filtro de Água Central FUSATI é um dispositivo do tipo POE (ponto de entrada). Isso porque ele trabalha conectado à entrada da rede de água, após o hidrômetro do imóvel residencial, condominial, comercial ou mesmo industrial.

Instalado dessa forma, o Filtro Central FUSATI executa a filtração de toda a água que ingressa no imóvel, garantindo o fornecimento de água tratada para a caixa d’água e todos os pontos de saída de água – torneiras, registros, válvulas, chuveiros, máquinas de lavar, purificadores, bebedouros e outros dispositivos.

Benefícios dos Filtros de Água FUSATI. Não Consome Energia Elétrica, 5 anos da vida útil do elemento filtrante, Retrolavável, Estrutura em Aço Inox 304.

O recurso da retrolavagem é outro importante diferencial dos Filtros FUSATI. Quando acionada, a retrolavagem – ou a reversão do fluxo de água – promove a limpeza do elemento filtrante, estendendo a vida útil e a eficiência das sete camadas de quartzo que atuam na purificação da água.

Por falar em economia, não custa lembrar que os Filtros Centrais FUSATI operam 24 horas por dia sem energia elétrica (processo de filtragem natural).

Alto Poder de Higienização e Tratamento

Mas o principal mérito de um Filtro de Água Central FUSATI é mesmo o seu produto final: a água 100% potável e filtrada pelas sete camadas de quartzo.

Acredite, esse eficaz sistema de higienização da água é capaz de remover micropartículas em suspensão com dimensões entre 5 e 15 mícrons (μm). Isso corresponde a resíduos com o diâmetro de um fio de cabelo.

Essa potência sanitária é executada e norteada pelos padrões de potabilidade previstos na Portaria Nº 888 do Ministério da Saúde.

A fabricação dos Filtros FUSATI ocorre em absoluta conformidade com a norma NBR 16098:2012,da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) – norma que “estabelece os requisitos mínimos e os métodos de ensaios para os aparelhos para melhoria da qualidade da água potável, de acordo com a legislação em vigor, para consumo humano”.

Como um todo, a excelência dos produtos FUSATI é endossada por Certificados do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), que atestam a segurança, a qualidade e a alta performance de nossos aparelhos de filtragem e tratamento de água.

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

Filtro POE (Ponto de Entrada)

Filtro POE (Ponto de Entrada)

O Filtro POE é um dispositivo comumente utilizado para a filtragem da água, especialmente em imóveis residenciais.  

Basicamente, os filtros de cavalete são equipamentos cilíndricos – geralmente construídos em material plástico – que são instalados no cavalete de entrada de água (da rede de distribuição pública) ou na entrada da caixa d’água.

Eles são uma boa alternativa para a remoção de sedimentos orgânicos e inorgânicos como areia, algas, resíduos de ferrugem e outras partículas que são carreadas pelas tubulações da rede. 

O que é um Filtro POE?

Os Filtros POE (ou Filtro de Ponto de Entrada) são equipamentos utilizados na filtração da água que se enquadram na categoria dos filtros centrais.

Essa denominação se dá pelo fato de que são aparelhos fabricados para serem instalados em linha, logo após o hidrômetro, ou então antes da entrada da caixa d’água.  

Os Filtros POE realizam a filtragem da água que ingressa no imóvel ou que é armazenada na caixa d’água. São capazes de filtrar vazões que vão de 180 litros/hora a 1.450 litros/hora.

Sua estrutura normalmente é construída em material polipropileno e o seu elemento filtrante (refil ou cartucho) deve ser trocado em períodos que variam entre três e seis meses, conforme o modelo e o fabricante.

Quanto à sua eficiência na retenção de partículas,  geralmente os filtros de cavalete ou filtros de cartucho estão enquadrados na Classe C ou Classe D, de acordo com classificação da norma ABNT NBR 16098:2012Aparelho para melhoria da qualidade da água para consumo humano — Requisitos e métodos de ensaio

A norma ABNT NBR 16098:2012

Todos os equipamentos de consumo de água (filtros, purificadores, bebedouros e outros) comercializados no Brasil devem obedecer padrões sanitários, de segurança, qualidade, desempenho e eficiência energética.

E esses parâmetros, que incluem o nível de retenção de partículas, eficiência bacteriológica e redução de cloro livre, estão estabelecidos na norma ABNT NBR 16098:2012.

Como explica a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a NBR 16098:2012estabelece os requisitos mínimos e os métodos de ensaios para os aparelhos para melhoria da qualidade da água potável, de acordo com a legislação em vigor, para consumo humano”.

É com base nesta norma que o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) – órgão federal vinculado ao Ministério da Economia – avalia a qualidade dos produtos filtrantes, endossando ou não a sua comercialização.

Especificamente no que diz respeito à capacidade retenção de partículas presentes na água, a norma ABNT NBR 16098:2012 classifica os equipamentos filtrantes em quatro categorias:

  • Classe A – de 0,5 a 1,0 mícron (μm)
  • Classe B  – de 1 a 5 microns (μm)
  • Classe C – de 5 a 15 microns (μm)
  • Classe D – de 30 a 50 microns (μm)
  • Classe E – de 50 a 80 microns (μm)

Ou seja, os filtros Classe A e B são aqueles com maior capacidade de retenção de partículas e outros resíduos presentes na água. Possuem baixa vazão e por isso são instalados na cozinha.

Essas e outras informações técnicas constam no selo Inmetro e, portanto, devem ser muito bem observadas pelo consumidor na hora de adquirir um filtro para atender às suas necessidades de fornecimento de água potável e segura para o consumo humano.

Filtro de Água Central

Para uso doméstico, os Filtros de Água Central se apresentam, em vários aspectos, como uma opção superior e mais eficiente em relação aos filtros POE.

O Filtro POE é, geralmente, instalado ao lado do cavalete (hidrômetro) promovendo água filtrada para todas as torneiras a residência.
Filtro de Água Central • Casa, Residências, Condomínio, Prédio, Residencial e Empresas

Uma dessas vantagens diz respeito justamente à remoção de partículas, ou seja, à qualidade da água que será consumida pela sua família.

Enquanto os filtros de cavalete são, em sua maioria, capazes de extrair partículas maiores, os Filtros Centrais possuem grau de filtração muito mais apurado, a partir de 15 microns (μm).

No caso dos Filtros FUSATI, outra vantagem é o recurso da retrolavagem, que é a reversão do fluxo da água para a limpeza das sete camadas de quartzo, que constituem o complexo filtrante do aparelho.

No fim das contas, esse recurso autolimpante garante economia ao consumidor. Isso acontece na medida em que a retrolavagem evita as constantes trocas de refis/cartuchos que são necessárias em outros tipos de filtros. A correta utilização da retrolavagem pode prolongar a vida útil das camadas de quartzo em até 3 anos.

De maneira opcional, os Filtros de Água Central FUSATI também podem ser automatizados e equipados com outro tipo de elemento filtrante, no caso o carvão ativado, que é um mineral bastante eficaz na remoção de cloro.

Esta opção do carvão ativado é interessante para atender às exigências das indústrias de alimentos e de bebidas, que são companhias que dependem de água totalmente livre de impurezas, alterações químicas, de paladar e de viscosidade para o sucesso de seus processos produtivos.

Mais benefícios dos Filtros de Água Central FUSATI

Além da higienização superior da água, do recurso da retrolavagem e da economia a médio prazo, os Filtros Centrais da FUSATI possuem outras características operacionais e estruturais que garantem a sua liderança no segmento de filtragem e tratamento de água residencial.

O chassi construído em aço inoxidável (inox 304 e inox 316) garante robustez e durabilidade a toda a linha de Filtros FUSATI.

Filtro de Água FUSATI: modelos manuais e automáticos

Outro ganho é a possibilidade de tratar grandes vazões – de 800 a 2.000 litros por hora -, permitindo excelente performance filtrante não somente em residências, mas também em lojas, empresas, consultórios, clínicas, lavanderias, hotéis, hospitais, academias, laboratórios e outros tantos estabelecimentos. 

Ainda no âmbito da economia, cabe ressaltar que os Filtros Centrais da FUSATI dispensam o uso de energia elétrica, pois a filtragem é natural.

E devido à sua eficácia na remoção de resíduos/partículas, os Filtros FUSATI previnem danos a dispositivos hidráulicos (registros, torneiras, válvulas, caixas d’água) e eletrodomésticos que são abastecidos por água, como máquinas de lavar roupas, louças, purificadores, chuveiros, ferro de passar (a vapor) e outros. Resultado: mais economia com reparos, trocas e manutenções.

E então, já pensou em equipar a sua casa com um Filtro de Água Central FUSATI? Que tal o privilégio de possuir água potável, tratada e cristalina em todos os pontos de saída da sua casa, inclusive na caixa d’água? 

Na hora de tomar essa decisão, não se esqueça que a nossa linha de filtros residenciais é certificada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e atende todas as diretrizes da norma NBR 16098:2012 e da Portaria de Consolidação Nº 5 (Anexo XX), do Ministério da Saúde (MS), que é o documento que define as condições de potabilidade da água no Brasil. 

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

Reúso da Água Industrial: Sustentabilidade Financeira e Ambiental

Reúso da Água Industrial: Sustentabilidade Financeira e Ambiental

O risco de uma nova crise hídrica está de volta ao Brasil. E com ele ressurgem as preocupações e transtornos envolvendo o setor produtivo que, mais uma vez, será afetado com os iminentes problemas de desabastecimento de água e os já anunciados ajustes tarifários na conta da energia elétrica.

Nesse cenário, o reúso da água industrial ressurge como uma importante ferramenta para a indústria manter a produção em dia, sem percalços e interrupções, e ainda gerar redução de custos operacionais e economia de recursos naturais (água bruta). 

Mas apesar de todas essas conhecidas vantagens, a indústria em geral ainda não desfruta o grande potencial deste valioso e rentável recurso que é a água de reúso.

No Brasil, o percentual de aproveitamento da água de reúso ainda é baixíssimo: cerca de 2 m³/s, diante de um total de 2.083 m³/s de água bruta – retirado de rios, lagos, represas e fontes subterrâneas – que é utilizado para abastecer cidades, populações, indústrias e o setor agropecuário.

Esses dados constam do estudo Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil – Informe 2018, da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

Crise Hídrica Preocupa o Setor Industrial

O temor de uma nova crise no sistema de abastecimento de água do país reacendeu, no meio empresarial, a necessidade de investimentos para estimular a produção de água de reúso e outras soluções para amenizar possíveis impactos negativos.

Reportagem publicada recentemente pelo portal G1 Campinas e Região, trouxe a preocupação das indústrias locais em relação ao desabastecimento hídrico e possíveis blackouts, que podem interromper a produção e provocar sérios prejuízos fabris.

Segundo a matéria, um levantamento do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) realizado junto a 40 companhias da região de Campinas detectou que 88% delas demonstram receio em relação à crise hídrica, enquanto que 57% já foram afetadas pelo aumento do preço de energia elétrica e da água.  

Sob risco de paralisação da produção e prejuízos financeiros, o empresariado ouvido pela pesquisa do Ciesp reconheceu a necessidade de aumentar a eficiência do uso de energia e da água em seus processos. E para tal, sinalizam ou adotaram tecnologias como energia solar e água de reúso.

Reúso: Alternativa Rentável para o Setor Produtivo

Água de reuso, é um recurso pouco explorado. O reaproveitamento das águas residuais é uma urgente necessidade de racionalizar recursos nos dias de hoje. Porém, de maneira geral, o processo de água de reúso ainda é uma prática bastante limitada no Brasil.

Uma parte das indústrias brasileiras já possui programas e rotinas que são realizadas com a água de reúso gerada a partir da água da chuva ou do tratamento de seus efluentes industriais.

Tais iniciativas reduzem os custos das contas de água, ajudam a poupar os recursos hídricos naturais e estimulam uma economia mais sustentável.

A água de reúso, vale frisar, não é potável. Porém, ela pode ser bastante útil para finalidades industriais como lavagem de pisos, galpões, áreas externas, frotas veiculares e máquinas, irrigação de gramados e áreas de paisagismo, resfriamento de caldeiras, descarga de sanitários e outras ações.

No país, os padrões, parâmetros e classificações da água de reúso são definidos pela NBR 13.969/97 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), cujo título é “Tanques sépticos – Unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos – Projeto, construção e operação”.

O quadro 4 da NBR 13.969/97 classifica os quatro tipos de água de reúso de acordo com seus níveis de turbidez, coliformes fecais, pH, cloro residual e outros parâmetros.

Essas quatro categorias de água de reúso são as seguintes:

Classe 1 – recomendada para lavagem de carros e outros usos que requerem o contato direto do usuário com a água, com possível aspiração de aerossóis pelo operador, e chafarizes

Classe 2 – indicada para lavagens de pisos, calçadas e irrigação dos jardins, manutenção dos lagos e canais para fins paisagísticos, exceto chafarizes

Classe 3 – utilização nas descargas dos vasos sanitários (as águas de enxágue das máquinas de lavar roupas satisfazem a este padrão)

Classe 4 – emprego nos pomares, cereais, forragens, pastagens para gados e outros cultivos através de escoamento superficial ou por sistema de irrigação pontual; mas as aplicações devem ser interrompidas pelo menos 10 dias antes da colheita da safra

 Fonte: NBR 13.969 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

Soluções para Reúso da Água Industrial

Com quatro décadas de atuação no segmento de filtros residenciais e comerciais e sistemas de tratamento de água, a FUSATI é uma companhia que prima pela qualidade e eficiência de seus produtos e serviços.

Desde sua fundação, a FUSATI busca de maneira incansável o desenvolvimento de tecnologias que atendam às necessidades de seus clientes e, simultaneamente, estejam enquadradas no conceito de economia circular sustentável. 

As soluções FUSATI garantem excelência operacional, segurança e rentabilidade a mais de 50 mil clientes residenciais, comerciais e industriais distribuídos pelo Brasil.

Para os mais diversos segmentos industriais, a FUSATI projeta e implanta estações de tratamento de líquidos em versões pressurizadas, compactas e modulares. O portfólio da empresa inclui: 

Essas unidades podem ser montadas em espaços industriais com múltiplas variações e configurações, de acordo com o tipo de água requisitado pelo processo fabril, o tipo de fonte de abastecimento, o volume de vazão, o espaço disponível e outros aspectos particulares de cada negócio.

Além da possibilidade de customização, da versatilidade e outras vantagens, as estações de tratamento de água, esgoto e efluentes industriais da FUSATI ainda produzem a hoje tão preciosa água de reúso, que, conforme dito, pode ser empregada numa série de atividades que dispensam o uso de água potável.

As ETEs, ETAs e ETEIs fabricadas pela FUSATI equipam condomínios residenciais e comerciais, restaurantes, hotéis, hospitais, shoppings, lavanderias, indústrias de alimentos, bebidas, medicamentos e outras tantas unidades fabris e negócios.

E a sua empresa, já possui sistemas de geração de água de reúso? Que tal otimizar a gestão hídrica na sua organização, diminuir custos de consumo e contribuir com a preservação dos recursos hídricos naturais?

Para tudo isso, conte com o apoio especializado da FUSATI. Afinal, a nossa vocação é o desenvolvimento de soluções que aumentam a eficiência do uso da água em todas as fases do ciclo hídrico: captação, tratamento, reúso e devolução à natureza. 

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

Filtro Para Caixa D’Água

Filtro Para Caixa D’Água

Para assegurar a distribuição de água limpa e potável em residências, condomínios e empresas, é imprescindível o investimento em tecnologias que façam o tratamento complementar da água que é distribuída pelas redes públicas. Pensando nisso, os Filtros para Caixa D’água são, comprovadamente, uma excelente alternativa para essa finalidade.

Isso porque esse tipo de filtro – que também é chamado de Filtro de Água Central, Filtro de Cavalete ou Filtro Externo – é bastante funcional, econômico e eficiente na tarefa de purificar a água e, assim, torná-la apropriada para as diversas necessidades humanas.

Vale lembrar que os Filtros para Caixa D’água pertencem à categoria de filtros conhecida como ‘POE’ (ponto de entrada), que são aqueles conectados no cavalete (linha hidráulica) do imóvel. Ou seja, após o hidrômetro e antes do reservatório de água.

Por serem responsáveis pela filtragem de 100% da água que ingressa no imóvel, são aparelhos de tratamento de água que se mostram importantes para diferentes necessidades.

Dessa forma, os Filtros para Caixa D’água são perfeitos para uso residencial, comercial, em escritórios, consultórios e em outros estabelecimentos que demandam água potável e totalmente segura para ingestão e outras utilizações.

Filtro para caixa d’água com carvão ativado (opcional)

Atenção: A remoção de cloro é opcional e aplicada somente em sistemas de filtração personalizados.

A cartilha popular da boa higiene sanitária recomenda a limpeza da caixa d’água a cada seis meses.

De tempos em tempos, como se sabe, é necessário esvaziar a caixa d’água e realizar a lavagem do reservatório com cloro ou água sanitária. Eventualmente, todo(a) chefe de família precavido(a) promove essa limpeza para assegurar a saúde e o bem-estar dos moradores da casa.

Porém, essa importante rotina preventiva não garante a segurança total da água. Ela apenas minimiza o risco de sua contaminação e, consequentemente, o surgimento de males e doenças nos consumidores.

Contudo, quando existe um Filtro para Caixa D’água FUSATI trabalhando 24 horas por dia na remoção de impurezas e todo tipo de micropartículas contaminantes que normalmente se acumulam no reservatório, essa proteção sanitária é praticamente 100%.

O segredo dessa assepsia contínua e integral dos Filtros fabricados pela FUSATI são as sete camadas de carvão ativado presentes em seus equipamentos filtrantes e de tratamento de água.

Essa sequência de etapas filtrantes executa a remoção de micropartículas em suspensão – resíduos orgânicos e inorgânicos – com dimensões minúsculas entre 5 e 15 mícrons (μm).   

Isto é, esse tratamento preliminar da água da caixa representa uma grande vantagem sanitária para as famílias, pois garante a distribuição de água potável em todos os pontos de saída hidráulica da casa: torneiras, registros, válvulas, chuveiros, bebedouros e outros dispositivos.

Filtro para caixa d’água de condomínio

A eficiência dos Filtros para Caixa D’água FUSATI também se aplica a condomínios residenciais e comerciais.

Claro, nesse tipo de moradia multifamiliar ou edifício comercial também é recomendável que as caixas d’água – que possuem grande capacidade de armazenagem – sejam abastecidas com água tratada e segura para o consumo humano.

Nesses locais, os Filtros para Caixa D’água FUSATI atuam como importantes aliados dos gestores de condomínios, que são os responsáveis por uma série de atribuições, entre as quais o cuidado com a qualidade e a distribuição de água para toda a coletividade.

Mais do que oferecer água potável e tratada a todos, os Filtros para Caixa D’água FUSATI também se mostram aparelhos econômicos e duradouros. 

O recurso da retrolavagem – que é a limpeza do filtro por meio da reversão do fluxo de água – traz grande durabilidade ao elemento filtrante.

A retrolavagem, que pode ser manual ou automatizada, prolonga o tempo de vida útil das sete camadas de carvão ativado em até 5 anos, evitando as constantes trocas de refis e gerando economia de dinheiro.

Já a durabilidade dos Filtros FUSATI é garantida pela carcaça construída em aço inoxidável (inox 304 e inox 316), estrutura robusta que permite que eles sejam instalados em áreas externas.

Graças a essa blindagem metálica, os Filtros FUSATI resistem às diferentes condições climáticas (chuva, clima seco, maresia e outras intempéries), sem apresentar corrosões e outros danos estruturais.     

Filtro para caixa d’água de alta vazão

Além da alta performance na higienização da água, da qualidade estrutural e das possibilidades de automatização, os Filtros para Caixa D’água FUSATI são capazes de tratar grandes volumes hídricos, inclusive com a função (opcional) de decloração.

Essas grandes demandas hídricas geralmente são verificadas em condomínios, comércios, indústrias e outros negócios como, por exemplo, restaurantes, hotéis, academias, escolas e lavanderias.

Filtro Central de Alta Vazão

Em todos esses empreendimentos, os Filtros FUSATI asseguram o tratamento imediato e integral de toda a água que circula nos encanamentos e, depois, segue para a caixa d’água do imóvel ou prédio, evitando riscos de desabastecimento de água potável.  

Qual é o melhor filtro para a caixa d’água?

Basicamente, existem duas categorias de filtros POE (ponto de entrada) para atender essa necessidade: os filtros de cartucho (ou filtros de polipropileno) e os já citados Filtros Centrais de Água (Filtro de Cavalete ou Filtro Externo).

Filtros de Água personalizado para diferentes tipos de necessidades

Bom, isso significa que hora de escolher o melhor filtro para a sua caixa d’água, é importante considerar o investimento, a tecnologia do dispositivo, a relação ‘custo x benefício’, os gastos com manutenção, os prazos de troca dos elementos filtrantes e outros fatores. 

Pode-se dizer, porém, que os Filtros Centrais para Caixa D’água são aparelhos mais completos e que oferecem importantes vantagens em relação aos filtros de cartucho.

Bom, sem dúvida a principal delas é a maior precisão em relação à capacidade de remover impurezas, partículas e sedimentos minúsculos. Os Filtros FUSATI eliminam resíduos presentes na água menores do que o diâmetro de um fio de cabelo! 

Outro diferencial significante é a possibilidade de autolimpeza do elemento filtrante (a retrolavagem) a qualquer instante. 

Além de estender a vida útil das camadas de carvão ativado (que duram de 3 a 5 anos), a médio prazo a retrolavagem gera uma economia substancial em comparação às frequentes substituições de refis dos filtros de cartucho.

Uma terceira e não menos importante vantagem dos Filtros Centrais é a opção do ‘by pass’, sistema que garante a não interrupção do fornecimento de água em casos de manutenção ou substituição de peças. 

Para que serve o Filtro para Caixa D’água?

Em suma, o Filtro para Caixa D’água é um aparelho que serve para garantir a higienização e a distribuição de água segura e tratada em residências, comércios, empresas, indústrias, escolas, hotéis, lavanderias e outras tantas dependências.

Em funcionamento, trata-se de um eficiente equipamento filtrante que é capaz de corrigir instabilidades da água de distribuição (excesso de cloro e impurezas), problemas de turbidez ou decorrentes de danos nas tubulações/encanamentos.

12 Vantagens dos Filtros para Caixa D’água FUSATI

  • Caixa d’água livre de impurezas, sedimentos, partículas orgânicas/inorgânicas e outros resíduos nocivos à saúde humana
  • Prolonga os prazos de limpeza da caixa d’água
  • Geração de água potável de acordo com a  Portaria de Consolidação Nº 5 (Anexo XX), do Ministério da Saúde (MS)
  • Chassi construído em aço inoxidável (estrutura robusta)
  • Grande durabilidade do elemento filtrante (as sete camadas de carvão ativado)
  • Recurso da retrolavagem (autolimpeza que promove economia evitando as constantes substituições de refis)
  • Capacidade de tratamento de grandes vazões de água
  • Versatilidade operacional (uso residencial, comercial e industrial)
  • Extensão da vida útil de torneiras, registros, válvulas e outros dispositivos hidráulicos
  • Funcionamento sem a utilização de energia elétrica (filtragem natural)
  • Possuem Certificado do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia)
  • Fabricação em conformidade com a norma NBR 16098:2012,da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

Água Potável e Seu Tratamento

Água Potável e Seu Tratamento

A água é um fator chave para o desenvolvimento sustentável. Precisamos dela para a saúde, segurança alimentar e progresso econômico.” Ban Ki-moon – Secretário-geral da Organização das Nações Unidas

Água potável é a água tratada adequada para o consumo humano e animal, livre de qualquer tipo de micro-organismos, sólidos em suspensão e substâncias tóxicas que causam contaminação e doenças. É a água boa para o consumo, que não causa nenhum risco à saúde e é agradável aos sentidos.

Você sabia que a água potável só foi reconhecida como um direito humano no dia 28 de julho de 2010? Naquela data, esse direito internacional foi decretado pela Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas).

Por meio da resolução 64/292, a ONU reconhece que o acesso à água segura e limpa (potável) e ao saneamento básico é um direito humano essencial para o total desfruto da vida e de todos os direitos humanos.

O que é Água Potável

As características físicas, químicas, biológicas e radioativas da água indicam os seus parâmetros de potabilidade. As características físicas são facilmente percebidas pelos órgãos dos sentidos e, muitas vezes, é por causa delas que deixamos de beber uma água. Dentre as características físicas da água, poderíamos citar a cor, o odor, o sabor e a turbidez.

As características físicas, químicas, biológicas e radioativas da água indicam os seus parâmetros de potabilidade

As características físicas, químicas, biológicas e radioativas da água indicam os seus parâmetros de potabilidade

Cor da Água

A água potável deve ser preferencialmente incolor, inodora e possuir sabor agradável ao paladar. Partículas de origem orgânica, tais como ácidos húmicos e fúlvicos, e de origem mineral tais como resíduos industriais, compostos de ferro e manganês são algumas das responsáveis pela coloração de águas naturais. A cor da água pode variar de acordo com as substâncias nela presentes: se rica em manganês a cor é negra, se rica em ferro avermelhada e se rica em ácidos húmicos a cor é amarelada.

Pode-se constatar eventualmente a ocorrência de cor branca ou turva na água que sai das torneiras. Trata-se de hipótese em que existe ar dissolvido na água com formação de pequenas bolhas, originado pelas oscilações de pressão nas tubulações ou nos reservatórios de água. Esta aparência esbranquiçada é pontual e passageira, não afetando a qualidade da água.

Odor

Para o consumo humano, o padrão de potabilidade exige que a água seja completamente inodora. O odor na água é devido, principalmente, pela presença de substâncias orgânicas, sendo que certos odores são indicativos de aumento da atividade biológica. O odor também é uma das formas de averiguar a existência de certos produtos químicos na água e podem ser indicativos de poluição industrial. Substâncias químicas tóxicas como clorobenzenos, clorofenóis, fenóis e sulfeto de hidrogênio apresentam odores bem característicos.

Sabor

A água potável deve possuir sabor agradável ao paladar dos consumidores. As alterações ao sabor da água são o motivo maior de reclamações. Uma das causas de alteração de sabor é a presença de cloro. Em águas tratadas com cloro (com o objetivo de eliminar bactérias e outros microrganismos que possam contaminar a água na rede pública) pode ocorrer a reação do cloro com matéria orgânica e causar odores e sabores devido à formação de certos compostos.

Turbidez

Já a turbidez é a característica física que indica as partículas que impedem a passagem de luz pela água, ficando em suspensão. As partículas podem ser de areia, restos de folha e até mesmo seres vivos como algas, protozoários e bactérias que além de turbidez, também podem causar à água cor, sabor e odor.

A erosão, o escoamento de água de locais impermeabilizados nas cidades e a contaminação proveniente de zonas de mineração  são os principais fatores que alteram a turbidez da água.

 Certo é que a cor, odor, sabor e turbidez afetam as percepções e os comportamentos dos consumidores de água.  Embora as diretrizes para a potabilidade da água estejam previstas em regras próprias do Ministério da Saúde, não há garantia de que os consumidores estarão satisfeitos com o abastecimento de água que atendem a esse regramento.

As características químicas da água, por sua vez, também são de extrema importância, pois podem inviabilizar o uso de certas tecnologias de tratamento ou exigir tratamentos específicos.  Destaca-se, dentre outras não menos relevantes, as seguintes características: o pH, alcalinidade, acidez e a dureza da água.

pH – Potencial Hidrogêniônico

O pH representa a intensidade das condições ácidas ou alcalinas do meio líquido, por meio da medição da concentração de íons hidrogênio. Na água, este fator é de grande importância, principalmente nos processos de tratamento.

O valor do pH varia de 0 a 14 em escala, sendo condições ácidas inferior a 7 e alcalinas superior a 7.  A água, como substância pura, possui pH neutro, ou seja,  igual a 7.

O pH da água pode indicar possíveis contaminações químicas e tem implicação sobre a qualidade da água destinada ao consumo humano. O intervalo de pH para águas de abastecimento público deve estar na faixa entre 6.0 a 9.5. Este parâmetro tem por objetivo minimizar os problemas de incrustação e corrosão das redes de distribuição.

Alcalinidade

Entre as impurezas encontradas na água, existem aquelas que são capazes de reagir com os ácidos, podendo neutralizar certa quantidade desses reagentes. Essas impurezas conferem às águas a característica de alcalinidade” (OLIVEIRA, Aline Maxiline Pereira. Alcalinidade e dureza das águas. São Paulo, 2007).

A alcalinidade indica a quantidade de íons na água que reagem para neutralizar os íons hidrogênio (H+) provenientes dos ácidos. Constitui-se, portanto, em uma medição da capacidade da água de neutralizar os ácidos, servindo para demonstrar a capacidade de tamponamento da água, isto é, sua condição de resistir a mudanças do pH. A medida da alcalinidade é de fundamental importância durante o processo de tratamento de água, pois, é em função do seu teor que se estabelece a dosagem dos produtos químicos utilizados.

Acidez

A acidez decorre, fundamentalmente, da presença de gás carbônico livre na água, e indica a capacidade da água em resistir às mudanças de pH. Pode ter origem natural, como por exemplo, o caso do CO2 absorvido da atmosfera ou resultante da decomposição de matéria orgânica, ou ainda pode ter origem pela ação do homem, como no caso dos despejos industriais. Águas com acidez mineral são desagradáveis ao paladar e desaconselhadas para o uso doméstico.

Dureza

A dureza da água é uma característica química que indica o teor de sais de cálcio, magnésio, ferro, manganês, estrôncio e alumínio com a inclusão dos carbonatos, sulfatos, cloreto de cálcio e cloreto de magnésio. A dureza, da mesma forma que a acidez, também pode ter origem natural, como, por exemplo, a dissolução de rochas calcárias, ricas em cálcio e magnésio ou pode ter origem pela ação do homem como no caso do lançamento de efluentes industriais.  As águas de dureza elevada provocam incrustações nas tubulações de água quente, caldeiras e aquecedores e também reduzem a formação de espuma, gerando, por consequência um maior consumo de sabões e xampus.

Dentre as características biológicas da água, destacam-se os Coliformes, que são indicadores de presença de microrganismos patogênicos na água e as Algas, que em grandes quantidades trazem inconvenientes como odor, sabor, cor, turbidez e toxidez, interferindo, inclusive nos processos de tratamento da água.

No Brasil, o padrão de potabilidade vigente está estabelecido na Portaria de Consolidação nº 5 do Ministério da Saúde, que consolidou as normas sobre as ações e os serviços de saúde do Sistema Único de Saúde. O Anexo XX da referida Portaria de Consolidação dispõe sobre os procedimentos e as responsabilidades relativos ao controle e à vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.

A inclusão ou exclusão de determinados parâmetros para o padrão de potabilidade depende de vários fatores, como por exemplo, a presença de novas classes de contaminantes em razão do crescente avanço da indústria na produção de compostos orgânicos, agrotóxicos e produtos de desinfecção.

Água potável, Um Recurso Raro e Vital

A água doce é, sem dúvida, o mais precioso recurso natural e a cada dia se torna mais urgente o seu uso racional.

Principalmente porque a água doce representa menos de 3% de todo o volume de água existente no planeta.

A água é um elemento tão essencial e trivial para os seres humanos que, talvez por isso, muitos de nós pensamos que água potável e água pura são exatamente a mesma coisa.

Mas além dessa presença minoritária, a estrondosa demanda de água de cidades e indústrias, as mudanças climáticas e as crises hídricas tornam o acesso equitativo à potável um desafio ainda maior.

A propósito, a ONU, por meio da Organização Mundial de Saúde (OMS) , define a água potável como aquela:

  • totalmente livre de agentes patogênicos e de altos níveis de substâncias tóxicas
  • que é utilizada para atividades essenciais como ingestão, lavagem e cozimento de alimentos, preparo de refeições e higiene pessoal (banhos, escovação de dentes e outras necessidades).

No Brasil, os padrões de potabilidade da água são estabelecidos pela Portaria de Consolidação Nº 5, do Ministério da Saúde (MS).

De maneira específica, é o Anexo XX desta Portaria (editada em 28 de setembro de 2017) que dispõe sobre o controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.

Nele estão descritos padrões microbiológicos, regras para a coleta de amostras, valores permitidos de turbidez, normas para a desinfecção com cloro, ozônio e ultravioleta, doses máximas de substâncias químicas e outras diretrizes.

Lei em SP Obriga Fornecimento de Água Potável

Em alguns lugares do mundo, a água potável é oferecida gratuitamente a clientes e frequentadores de cafés, bares e restaurantes. Essa é uma prática comum em cidades dos Estados Unidos, França e de outros países europeus. 

E, recentemente, a cidade de São Paulo ganhou uma legislação que torna essa gentileza obrigatória em bares, hotéis, restaurantes, lanchonetes, padarias, cafeterias e estabelecimentos congêneres que comercializam água engarrafada.

Segundo a Lei Municipal Nº 17.453/20, promulgada em 9 de setembro de 2020, esses estabelecimentos “ficam obrigados a servirem ‘Água da Casa’ a seus clientes, sempre que esta for solicitada, de forma gratuita”.

Para esclarecer, a legislação explica que ‘Água da Casa’ é aquela de composição normal, proveniente de fontes naturais ou artificialmente captadas, que tenha passado por dispositivo filtrante no estabelecimento onde é servida e que se enquadre nos parâmetros federais de potabilidade para o consumo humano.

Por fim, o texto enfatiza que a ‘Água da Casa’ deve constar no cardápio, de modo visível, informando os consumidores sobre sua oferta e avisa que o descumprimento da lei pode acarretar multas que vão de R$ 1.000,00 a R$ 8.000,00.

Vale frisar que legislações semelhantes a essa já vigoram nos estados do Rio de Janeiro, do Espírito Santo e também no Distrito Federal.

Tratamento da Água

O tratamento de água para consumo humano inclui técnicas de remoção de microrganismos emergentes e micro contaminantes orgânicos. As técnicas de tratamento incluem coagulação, floculação, decantação, filtração, desinfecção e fluoretação e garantem a eficácia na clarificação e desinfecção da água.  A filtração com membranas, especificamente, é considerado um processo de tratamento altamente eficaz para a remoção de vários compostos orgânicos dissolvidos, como agrotóxicos e microrganismos patogênicos.

Água 100% Potável e Tratada em Casa

Teoricamente falando, a água que chega às torneiras de nossas casas – previamente higienizada e desinfetada nas Estações de Tratamento de Água (ETA) – já é apropriada ao consumo humano.

Eventualmente, contudo, essa água se torna insegura e inadequada para as nossas necessidades porque apresenta instabilidades que comprometem a sua total potabilidade.

Isso pode ocorrer devido à presença de resíduos orgânicos e inorgânicos, excesso de cloro e outras micropartículas que, por vezes, são carreadas pela tubulação.

Essas anormalidades podem ser causadas por vazamentos, rompimentos e manutenções na rede de abastecimento, excesso de chuvas e problemas durante o tratamento da água nas ETAs.

Para solucionar esses problemas e, assim, ter água 100% potável e tratada em casa, a melhor alternativa é a aquisição de um dos modelos de Filtro de Água FUSATI – equipamentos dotados de tecnologia, precisão operacional e a confiança de mais de 50 mil clientes espalhados pelo Brasil.

Filtro de Água de Central • Tratamento de Água • Casa, Residências, Condomínio, Prédio Residencial Comercial • FUSATI Filtro de Água

A FUSATI – empresa especializada em filtros de água e sistemas de tratamento de água – desenvolve e comercializa modernos e eficientes Filtros Centrais há quatro décadas.

A linha de Filtros Centrais FUSATI está presente em todo o Brasil, garantindo o tratamento e a distribuição de água potável e totalmente segura em lares, condomínios, comércios, empresas, hospitais, hotéis e indústrias. 

Equipamentos Filtrantes e Inoxidáveis

Geralmente, o Filtro Central é instalado após a entrada de água do imóvel. Essa localização estratégica permite a filtragem de toda a água fornecida pela rede de abastecimento.

Isso quer dizer que, depois de ser tratada pelo Filtro de Água FUSATI, a água potável é distribuída para todos os pontos hidráulicos da casa, prédio ou instalação comercial. Tanto para a caixa d’água quanto para as torneiras, chuveiros e registros que recebem água direto da rua.

Os carros-chefes do catálogo de filtros da FUSATI são os modelos Atlântico, Índico e Pacífico.

Filtro de Água de Entrada e Filtro Central • Tratamento de Água • Casa, Condomínio, Prédio Residencial Comercial • FUSATI Filtro de Água e Tratamento de Água

Esses três modelos foram desenvolvidos para receber vazões que variam de 800 litros por hora a 2.000 litros/hora.

Essa versatilidade operacional permite que sejam utilizados em diferentes lugares – residências, lojas, escritórios, clínicas, lavanderias e empresas – para assegurar o fornecimento de água potável para o consumo humano.

À primeira vista, porém, a principal característica dos Filtros Centrais FUSATI, e que logo chama a atenção do consumidor, é a sua consistente estrutura física. 

Robustos, são filtros construídos em aço inox 304 (versão mais tradicional da liga de metal) ou aço inox 316, variação mais resistente do material que é indicada para regiões litorâneas, onde a ação da maresia é bastante agressiva.

Já em seu interior, os Filtros FUSATI possuem sete camadas de quartzo, minério que é um dos mais eficientes elementos filtrantes. Aliás, sua utilização na higienização da água é milenar.

Na prática, as sete barreiras de quartzo fazem a remoção de impurezas e micro-partículas de 5 a 15 mícrons (μm) que estão presentes na água. 

Além de garantir o fornecimento de água potável e livre de impurezas, a ação do quartzo evita o acúmulo de sujeira, incrustações, minérios e resíduos de ferrugem no encanamento. Exemplo: o Filtro Central FUSATI remove metais como ferro e manganês, que normalmente compõem a água proveniente de poços artesianos.

Vale dizer que todas essas ações filtrantes aumentam a vida útil de dispositivos e eletrodomésticos conectados à rede hidráulica como registros, torneiras, chuveiros, máquinas de lavar e outros.

Mas ainda há outras vantagens exclusivas do Filtro Central FUSATI como a facilidade de instalação, a economia de energia elétrica (funciona apenas com a pressão da água), o recurso da retrolavagem, o funcionamento ‘by pass’ (para eventuais reparos ou manutenções) e o selo de garantia/segurança do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Água Tratada para o setor industrial

Já em situações que exigem grandes demandas de água tratada – por exemplo, indústrias e condomínios – a FUSATI projeta e instala Estações de Tratamento de Água (ETAs) pressurizadas, compactas e modulares.

As Estações Compactas de Tratamento de Água (ETA) e Tratamento de Esgoto (ETE) do Grupo FUSATI são ideais para condomínios, hospitais e estabelecimentos comerciais (hotel, lava-rápidos, clubes, restaurantes, hotéis, frigoríficos, shoppings) e também em todos os locais não atendidos pela rede pública.

As ETAs FUSATI são dispositivos ideais para indústrias, lavanderias, hospitais, hotéis, spas, shoppings, clubes, frigoríficos, instituições de ensino e outros estabelecimentos.

Em todos esses negócios, nossas Estações de Tratamento de Água (ETAs) se consolidaram como sinônimos de água tratada, potável e de alta qualidade, tanto para processos fabris quanto para o consumo seguro de grandes públicos.

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

A FUSATI contribui para a questão da proteção e controle da qualidade da água de consumo humano. Com profissionais capacitados e envolvidos na questão da água, a FUSATI está a todo o momento criando produtos e tecnologias sustentáveis para a proteção da saúde humana.

Clientes Residenciais, Comerciais e Industriais espalhados por todo o Brasil Casas e Condomínios Horizontais e Verticais

Clientes Residenciais, Comerciais e Industriais espalhados por todo o Brasil
Podemos ajudar! Fale com um especialista em Tratamento e Filtros de Água.