Reúso da Água e a Crise Hídrica

Reúso da Água e a Crise Hídrica

O reúso da água e a crise hídrica são temas absolutamente relacionados, embora esta ligação só ganhe o devido destaque em tempos de reservatórios baixos e torneiras secas.

Em épocas de estiagem, de fato, o risco de desabastecimento da água que atende a população, o parque industrial e o agronegócio brasileiro reacende a importância e a urgência do aproveitamento da água de reúso.

Por enquanto, contudo, a água de reúso para fins não potáveis – aquela proveniente das chuvas, efluentes industriais e esgotos domésticos – ainda é pouco explorada e valorizada pelo cidadão comum, condomínios, empresas e administrações públicas.

Isso ocorre especialmente no Brasil, onde ainda reina o equivocado senso comum de que vivemos num país privilegiado e abençoado por suas abundantes e “infinitas” riquezas hídricas naturais – vide o majestoso rio Amazonas e as extensas, e hoje ameaçadas, bacias hidrográficas do São Francisco, Platina, Tocantins-Araguaia, Parnaíba e outras.

Abundância: Mapa mostrando a bacia de drenagem da Amazônia com o rio Amazonas

Desde já, portanto, a água de reúso é um imprescindível recurso hídrico sustentável, cuja utilização estimula a poupança de água bruta (que, dessa forma, é priorizada para o consumo humano), a preservação da natureza e a segurança da produção industrial e suas rotinas. 

Reúso: Baixo Aproveitamento Nacional

De acordo com o estudo Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil – Informe 2018, da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), o índice de aproveitamento da água de reúso no Brasil é praticamente irrelevante: cerca de 0,096% de todo o volume de água bruta retirada de mananciais superficiais e subterrâneos.

Isso significa que o país gera somente 2 m³/s de água de reúso, em contrapartida ao estrondoso volume de 2.083 m³/s de água bruta que é extraída de rios, lagos, poços artesianos, aquíferos e outros mananciais para abastecer cidades, indústrias e o agronegócio.  

Como se não bastasse a falta de estímulo e de campanhas educativas sobre o tema, o Brasil ainda não possui uma legislação específica, de âmbito federal, que regule questões como a coleta, armazenamento, tratamento e padrões de qualidade da água de reúso.

Existe, porém, a norma ABNT NBR Nº 13969, da Associação Brasileira de Normas Técnicas, que estabelece padrões de análise de qualidade da água de reúso.

Esta norma – denominada “Tanques sépticos – Unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos – Projeto, construção e operação” – fornece orientações para o tratamento de água de reúso e define classes de uso e seus parâmetros de qualidade (turbidez, taxa de coliformes fecais, cloro residual, sólidos dissolvidos e outros) da seguinte maneira:

  • Classe 1 – lavagem de carros e outros usos que requerem o contato direto do usuário com a água, com possível aspiração de aerossóis pelo operador, incluindo chafarizes
  • Classe 2 – lavagem de pisos, calçadas e irrigação de jardins, manutenção dos lagos e canais para fins paisagísticos, exceto chafarizes
  • Classe 3 – reúso nas descargas dos vasos sanitários
  • Classe 4 – reúso nos pomares, cereais, forragens, pastagens para gados e outros cultivos através de escoamento superficial ou por sistema de irrigação pontual

Fonte: Norma ABNT NBR 13969:1997

Reúso da Água em Condomínios

Hoje, mais do que nunca, é fundamental o incentivo às  tecnologias capazes de gerar a água de reúso visando o combate às crescentes crises hídricas e a garantia da sustentabilidade sócio-econômica e ambiental.

Uma dessas alternativas são os sistemas de filtragem e tratamento de água desenvolvidos especialmente para condomínios e indústrias, de acordo com suas demandas, particularidades de consumo e propriedades físico-químicas e biológicas da água a ser tratada  (residual ou de fornecimento público).

No caso de condomínios residenciais e comerciais,  esta valiosa água de segunda geração pode ser produzida em Estações de Tratamento de Água (ETA) ou Estações de Tratamento de Esgoto (ETE).

Vale observar que a chamada água cinza – aquela proveniente de banhos, lavatórios, pias, máquinas de  lavar (roupas e louças) e tanques – em condomínios pode ser facilmente tratada e reutilizada para fins não potáveis.

Depois de tratadas, as águas cinzas de condomínios se transformam em água de reúso com múltiplas aplicações, que vão desde a irrigação de áreas verdes, a lavagem de pisos, áreas comuns, garagens e veículos, até a utilização em descargas de vasos sanitários.

As águas pluviais também podem ser uma fonte hídrica alternativa em condomínios, a partir da implantação de sistemas de coleta e tratamento deste tipo de água.

Em Jundiaí, a FUSATI solucionou o problema de qualidade de água em um condomínio residencial com Estação de tratamento e filtração

Da mesma forma que as águas cinzas, a água de chuva devidamente tratada só pode ser utilizada para fins não potáveis.

Reúso da Água da Agricultura

Agricultura consome 52% da água captada no Brasil.
Um estudo experimental divulgado recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou que a agricultura brasileira é responsável pelo consumo de 52% da água captada de corpos hídricos superficiais e subterrâneos do país.

Quando tratada de maneira adequada, ou seja, sem oferecer riscos à saúde pública, a água de reúso também tem grande valia na agricultura.

Dentro de padrões específicos de qualidade, e pós-tratamento, as águas residuais podem ser utilizadas na produção de alimentos. Especialmente na olericultura, ramo da horticultura que envolve o plantio de legumes e verduras.

O tema é alvo de grande interesse por parte da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), que há anos realiza pesquisas e publica livros técnicos sobre a água de reúso e sua aplicação no agronegócio.

Um desses títulos – o livro Reúso de Água na Agricultura (de 2014) – cita dados da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura)  que apontam que “no ano de 2030, metade dos alimentos produzidos e dois terços dos cereais colhidos no mundo virão da agricultura irrigada”.

Simultaneamente, porém, a água bruta disponível para a agricultura sofrerá quedas de até 40% até o ano de 2050, adverte a FAO.

Inevitavelmente, esse preocupante cenário futuro de déficit de água põe em risco a segurança alimentar global. Por conta disso, o setor agrícola deve, de maneira crescente, investir em tecnologias que possam tratar águas residuais para uso seguro nas diversas culturas.

Mesmo porque, salienta o título da Embrapa, “segundo Ayers e Westcot (1999), a agricultura utiliza maior quantidade de água e pode tolerar águas de qualidade mais baixa do que a indústria e o uso doméstico”.

Reúso da Água na Indústria

O setor industrial também se beneficia da água de reúso em seus processos fabris e operacionais, gerando redução de despesas com água de distribuição e diminuindo o estresse hídrico dos mananciais.

Companhias dos mais variados segmentos se beneficiam da água de reúso gerada em Estações de Tratamento de Água (ETA), Estações de Tratamento de Efluentes Industriais (ETEI) e Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) construídas em suas unidades produtivas.

Estação de tratamento de água compacta

Além de serem sistemas versáteis de tratamento de água bruta e de águas residuais, essas unidades são tecnologias sustentáveis pelo fato de produzirem a vantajosa água de reúso. 

Em espaços industriais, a água de reúso pode ser empregada em tarefas como irrigação de áreas verdes, lavagem de pátios, frotas de veículos, descargas de vasos sanitários, alimentação de caldeiras, resfriamento de máquinas e equipamentos industriais.

Tecnologias a Serviço da Gestão Sustentável

Há mais de quatro décadas, a FUSATI dedica-se ao desenvolvimento e à comercialização de soluções filtrantes e de tratamento de água, efluentes industriais e esgotos.

Norteada por princípios de tecnologia e inovação, e tendo em vista os crescentes desafios hídricos, a FUSATI foca seus conhecimentos e esforços na fabricação de soluções cada vez mais sustentáveis e amigáveis com a água em todo o seu ciclo.

Conheça nossa polivalente e eficiente linha de Filtros Centrais (projetada para uso residencial, comercial e industrial) e nossas Estações de Tratamento de Água Pressurizadas, ETAs, ETEs e ETEIs – customizadas, modulares e compactas – especialmente construídas para as mais variadas necessidades produtivas, de acordo com padrões técnicos, legais e ambientais.

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

Crise hídrica enfrentada pelo estado de São Paulo – Sistema Cantareirana. Fonte da imagem: Divulgação/Sabesp

Águas Residuais

Águas Residuais

O papel ambiental das águas residuais tratadas ganha mais evidência e importância a cada nova crise hídrica e ameaça de racionamento de água. 

Porém, quando vemos especialistas em gestão hídrica fazerem seguidos apelos sobre o uso racional da água, geralmente pensamos, exclusivamente, na economia de água tratada que jorra nas torneiras de nossas casas. 

Mas não é só isso! Esse tipo de alerta hídrico também contempla a recomendação de zelo com a água bruta e, especialmente, com a água residual.

Hoje mais do que nunca, a segurança hídrica, a sustentabilidade e a saúde pública dependem da coleta, do tratamento adequado e da devolução (à natureza!) das águas previamente utilizadas nas residências, nas atividades comerciais e industriais.

Ou seja, o tratamento correto das águas residuais – aquelas provenientes de esgotos industriais e urbanos – é essencial para assegurar a proteção de ecossistemas, a continuidade da atividade econômica, a qualidade dos mananciais e da água que, de maneira cíclica, será novamente consumida nas residências, nas fábricas, no comércio e no setor de serviços.

O Que São Águas Residuais?

Águas residuais são aquelas que, de alguma forma, já foram utilizadas para uma determinada finalidade humana. Em outras palavras, são os famosos esgotos.

Basicamente, são as águas descartadas após uso residencial, comercial, industrial ou na agropecuária.

Água de reuso, é um recurso inexplorado que pode virar lei. O reaproveitamento das águas residuais é uma urgente necessidade de racionalizar recursos nos dias de hoje. Porém, de maneira geral, o processo de água de reúso ainda é uma prática bastante limitada em todo o mundo.

As águas residuais – também chamadas de residuárias ou águas servidas – ainda incluem a água das chuvas (pluvial) e a água empregada na conservação dos espaços públicos e rega de áreas verdes.

Por causa dos mais diversos tipos de manipulação e usos, a água residual contém substâncias poluentes, material orgânico, resíduos minerais, sais dissolvidos, óleos e graxas, metais pesados, sólidos em suspensão e outros agentes contaminantes.

Tratamento de Águas Residuais

Em uma boa parte das cidades brasileiras, a água residual oriunda dos esgotos domésticos é adequadamente tratada e devolvida à natureza. 

Nesses municípios que possuem condições satisfatórias de saneamento básico – situação que ainda inclui a oferta de água tratada -, o esgoto é coletado, transportado por meio de redes de tubulações e, posteriormente, encaminhado às Estações de Tratamento de Esgoto (ETE).

Depois de ser tratado nas ETEs municipais, o esgoto urbano é lançado com segurança no mar ou em corpos hídricos de água doce como rios, córregos e lagos, sem oferecer riscos de poluição e danos sócio-ambientais.

O Brasil, contudo, ainda tem um grande déficit na área de esgoto tratado. Segundo dados do Painel Saneamento Brasil, estudo realizado pelo Instituto Trata Brasil (ITB), apenas 32% dos habitantes de cidades brasileiras de porte médio – aquelas com população entre 50 mil e 140 mil pessoas – têm acesso a redes de coleta e tratamento de esgoto.

Isso significa que uma grande parcela do esgoto gerado no país ainda não é tratada, lamentavelmente. Ou seja, é descarregada de maneira irregular no meio ambiente, provocando impactos à natureza e à população.

Já os esgotos industriais, que são os resultantes dos processos fabris, devem ser tratados de modo apropriado pelas empresas geradoras e depois devolvidos ao meio ambiente.

Isso geralmente é feito em Estações de Tratamento de Efluentes Industriais (ETEI), que são unidades particulares e especialmente construídas para o atendimento de demandas industriais. 

Em tempo: as diretrizes ambientais, sanitárias e técnicas envolvendo o tratamento de efluentes industriais são estabelecidas por leis, decretos, normas e resoluções, que são emitidas por órgãos e entidades competentes.

Esse regramento ambiental, que também diz respeito ao uso e à cessão de outorgas da água no Brasil, se dá por meio de órgãos governamentais como:

Multas por Águas Residuais Não Tratadas

As empresas que produzem grandes volumes de efluentes industriais e que não obedecem os padrões de emissão de efluentes líquidos, em águas interiores ou costeiras, superficiais ou subterrâneas, estão sujeitas a multas e outras penalidades.

No âmbito federal, as penalidades associadas à poluição ou degradação dos recursos naturais – fauna, flora, recursos hídricos, solo e atmosfera – estão descritas na Lei 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, que é popularmente chamada de Lei de Crimes Ambientais.

Ao pé da letra, trata-se da lei que “dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências”.

A Lei 9.605 define punições para a prática de diferentes infrações ambientais, que vão desde a prestação de serviços à comunidade, a suspensão parcial ou total das atividades e a interdição temporária da atividade, até a detenção, de um a três anos, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.

Mas além desta legislação nacional, há de se observar ainda determinações criadas na esfera estadual.

Por exemplo, no Estado de São Paulo existe a Instrução Técnica Nº 30 da CETESB, que estabelece critérios para a valoração das penalidades de multa previstas em duas leis:

  •  Lei Estadual nº 997/1976 – que dispõe sobre o controle da poluição do meio ambiente
  • Decreto Federal nº 6.514/2008 – que dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente, estabelece o processo administrativo federal para apuração destas infrações, e dá outras providências.

Enfim, é uma instrução que define multas para casos que envolvem a contaminação da água, o armazenamento e a destinação de resíduos, a emissão de poluentes atmosféricos, eventos de poluição ambiental que causam risco à saúde humana e outros.

A Instrução Técnica Nº 30 da CETESB define valores de multas em Ufesp (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo) para três categorias de infrações:

  1. Leves – de 10 a 1000 Ufesps
  2. Graves – de 1001 a 5000 Ufesps
  3. Gravíssimas – de 5001 a 10.000 Ufesps

Hoje, o valor da Ufesp é R$ 29,09. Quer dizer, estamos falando de multas que variam entre R$ 300,00 e R$ 300.000,00 conforme a gravidade.  

A CETESB observa que esses valores são “diretrizes gerais para a aplicação de penalidades para o controle de fontes de poluição ambiental” e que cada caso deve ser avaliado individualmente.

Soluções Para Águas Residuais de Indústrias

A FUSATI é uma companhia que, desde a sua fundação, tem o compromisso de desenvolver e oferecer soluções modernas e sustentáveis para a filtragem e o tratamento de água e efluentes industriais.

Ambiental Estação de Tratamento de Efluente Industrial

Para o tratamento de águas residuais geradas em fábricas, a FUSATI projeta e instala unidades pressurizadas, compactas e modulares que atendem demandas de indústrias de vários segmentos.

Nossas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) e Estações de Tratamento de Efluentes Industriais (ETEI) aumentam a performance ambiental de unidades produtivas (fábricas de alimentos, bebidas, medicamentos, químicos e outros produtos) e empresas dos setores de saúde, hotelaria, transportes e outros serviços. 

Em Jundiaí, a FUSATI solucionou o problema de qualidade de água em um condomínio residencial com Estação de tratamento de água e filtração

Conheça também as soluções e tecnologias da FUSATI desenvolvidas para o tratamento e filtragem de água residencial, comercial e industrial.

Sistema de Tratamento de Água Não Potável para a Indústria Química

Visite o nosso site e descubra as vantagens da linha de Filtros de Água Central FUSATI, dispositivos de filtragem com aplicação em residências, comércios e indústrias.  

Conheça também a tecnologia e a eficiência operacional das Estações de Tratamento de Água (ETA), equipamentos indispensáveis para companhias que dependem de água com alto padrão de qualidade em seus processos.

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

Filtro Para Cavalete ou Filtro de Água Central?

Filtro Para Cavalete ou Filtro de Água Central?

Muitas dúvidas podem surgir na hora de escolher o filtro de água mais adequado às suas necessidades. Isso porque o mercado de filtros de água cresce a cada dia e, com isso, cada vez mais novos produtos e tecnologias são apresentados aos consumidores.

A melhor escolha para filtro de água, no entanto, depende de uma avaliação do ambiente físico, da forma de captação de água, melhorias na qualidade da água e das necessidades específicas para o tratamento da água. Uma análise econômica, visando buscar o melhor custo-benefício de determinado produto também é fundamental para se auferir bons resultados.

Para ajudá-los nesta escolha o presente artigo apresenta as funcionalidades e as vantagens de dois tipos de filtros de água / Filtros POE (aparelhos de ponto de entrada) bastante conhecidos no mercado: filtro de polipropileno ou filtro de cartucho e filtro para cavalete ou filtro para caixa d’água e filtro de água central.

Filtro de Cartucho ou Filtro De Polipropileno

O filtro de cartucho ou filtro de polipropileno, para o uso residencial, deve ser instalado antes do reservatório de água e após o hidrômetro. Em geral, o filtro de cartucho ou filtro de polipropileno é indicado somente para retenção de partículas acima de 10 a 250 Micra. Micra – plural de Micron ou Micrômetro – é a unidade de medida no sistema métrico que equivale à milésima parte de um milímetro, utilizada para indicar o grau de filtração, ou seja, a capacidade de um filtro remover contaminantes pelo tamanho das partículas sólidas. No caso do filtro de cartucho ou filtro de polipropileno, portanto, somente as partículas sólidas com tamanho maior que 10 a 250 Micra são retidas, depende do cartucho utilizado.

Muito embora este tipo de filtro possa apresentar em primeira análise uma vantagem econômica em razão do baixo valor de aquisição em comparação a outros, deve-se considerar a necessidade de troca de refil pelo menos a cada três meses de utilização, quando passa a ocorrer redução significativa da vazão da água. Além disso, é relevante saber que este filtro não torna a água própria para o consumo, apenas melhora a qualidade da água já tratada e fornecida pelo abastecimento público da cidade.

Filtro Central de Água ou Filtro para Cavalete Ou Filtro para a Caixa D’água

O filtro central de água, também conhecido como filtro de agua residencial externo / filtro para cavalete / filtro para a caixa d’água, por sua vez, possui algumas vantagens em relação ao filtro de cartucho. Uma delas é a possibilidade de retrolavagem ou autolimpeza, processo que consiste na passagem da água através do filtro em sentido contrário ao fluxo de filtragem com o objetivo de remover partículas sólidas retidas no meio filtrante. O processo da retrolavagem prolonga consideravelmente a vida útil do elemento filtrante, sendo a sua durabilidade de um período aproximado de 3 a 5 anos, desde que efetuada a retrolavagem constantemente. Somente após este período, portanto, é que se fará necessária a troca de refil, tendo como variante a qualidade da água que abastece o filtro de entrada.

A instalação do filtro central de água ou filtro para cavalete ou filtro para a caixa d’água também ocorre antes do reservatório de água e após o hidrômetro e o grau de filtração pode ser bem mais eficiente que o filtro de cartucho ou filtro de polipropileno.

Filtro de Água FUSATI

Benefícios dos Filtros de Água FUSATI. Não Consome Energia Elétrica, 5 anos da vida útil do elemento filtrante, Retrolavável, Estrutura em Aço Inox 304

O Filtro Central de água FUSATI apresenta uma excelente solução de filtragem. Com a função de filtrar toda a água da sua residência, garante de forma eficiente e econômica a qualidade da água. A filtragem ocorre logo na entrada da casa e com isso traz a vantagem de se obter água tratada em todos os pontos de uso. A caixa d’água mantém-se limpa, os equipamentos eletrodomésticos que utilizam água ficam protegidos e a saúde dos moradores é consequentemente preservada por meio de uma água filtrada e cristalina.
Além disso, destacamos abaixo outras vantagens do filtro central de água FUSATI:

Auto limpante com a Retrolavagem

Retrolavável e Autolimpante: Mais Economia

Através do processo de retrolavagem, o Filtro para Cavalete mantem-se eficiente por muito mais tempo e a economia de recursos é consequência imediata.

O sistema manual de retrolavagem dos filtros de água FUSATI é bastante simples, e também, opcionalmente, pode ser automatizado, sem a necessidade de intervenção manual.

Grau de Filtração

O grau de filtração do filtro de água potável central FUSATI é de aproximadamente 5 a 15 Micra (0,005 a 0,015 milímetros), o que significa uma água mais leve e transparente, com retenção de partículas sólidas consideravelmente menores que um fio de cabelo.

Filtro de Água com Carcaça em Aço Inox

Modelos de Filtros de Água Central e de Entrada FUSATI

Fabricado em aço inoxidável 304 ou 316, o filtro central de água FUSATI tem resistência superior às ligas de aço comum e é resistente à corrosão, não enfraquecendo com o passar do tempo pela ação de sol e chuva e apresentando, portanto, grande vida útil.

Alta Vazão

Destaca-se pela capacidade de filtrar mais água em menos tempo, garantindo uma alta performance seja para residências, condomínios horizontais ou prédios, restaurantes ou indústrias.

Carvão Ativado e Automatização: OPCIONAIS

Modelos para diferentes vazões, automatizados e com carvão ativado para remoção ou diminuição do Cloro

Com os opcionais de Autolimpeza Automatizada e Carvão Ativado para remoção do Cloro, as especificidades de cada cliente poderão ser plenamente atendidas.

A combinação de todos esses elementos garante a alta performance do filtro central de água potável FUSATI e a economia de recursos que tanto se busca nos dias atuais.

Conheça as nossas soluções de filtros de água. A FUSATI é uma empresa de sólida reputação que há mais de 35 anos dedica-se a melhorar a qualidade da água. É referência no mercado e oferece soluções personalizadas com o melhor custo-benefício do mercado.

Entre em contato pelo e-mail fusati@fusati.com.br, pelo Whats App (19) 99608-0239 ou pelo telefone (19) 3301-6666 para auxiliarmos você.

Zeólita

Zeólita

Zeólita é a denominação de um amplo grupo de minerais de origem vulcânica. Devido às suas propriedades físico-químicas, as zeólitas são minerais  multifuncionais com larga aplicação em diversas áreas.

Entre suas várias finalidades, os minerais zeólitos são utilizados em tratamentos de saúde, na agricultura, na indústria, na composição de medicamentos, de bebidas detox e, especialmente, em sistemas de filtração de água.

Cabe destacar que, devido à sua grande eficácia higienizadora, a utilização de pedras zeólitas como elemento filtrante de água é milenar.

Pesquisadores já comprovaram que as zeólitas, assim como o quartzo, faziam parte das primeiras estruturas de tratamento de água desenvolvidas por povos da Antiguidade, como por exemplo a civilização maia.

Zeólitos, zeólita ou zeolite

Esses termos são sinônimos e basicamente dizem respeito a um numeroso grupo de minerais microporosos que, quando imersos em água, dão a impressão de serem “pedras que fervem”.

Esse efeito borbulhante se dá por causa da liberação de oxigênio presente na estrutura porosa desses minerais. Além de ar, as cavidades das zeólitas contêm íons positivos como cálcio, sódio, magnésio, potássio e outros.  

Vale saber que o termo zeólita foi cravado em 1756, pelo químico e mineralogista sueco Axel Fredrik Cronstedt. E que sua origem etimológica é o grego: ‘zein’ (ferver) + lithos (pedra). 

Segundo a enciclopédia Britannica, o termo zeolite define os integrantes de uma família de minerais aluminossilicatos hidratados que contêm metais alcalinos e alcalino-terrosos.

O verbete da Britannica dedicado ao versátil mineral ainda explica que “as zeólitas são conhecidas por sua capacidade de troca iônica e desidratação reversível” e que sua estrutura é constituída por “cavidades interconectadas ocupadas por grandes cátions metálicos (íons carregados positivamente) e moléculas de água”.

As zeólitas são estruturas tetraédricas que podem ser naturais (formadas a partir da reação entre rochas vulcânicas e água alcalina) ou sintetizadas em laboratório visando diferentes usos industriais, medicinais, na agropecuária, de tratamento de água/efluentes e até de remediação ambiental.

Zeolita é um elemento filtrante usado para Tratametno da água com ótima eficiência para tratamento físico-químico da água. É um mineral empregado no tratamento de água de processos industriais, tratamento de água de poço, mina, rios, lagos e até mesmos para tratamento de água da rede pública.

Para que serve a Zeólita

A zeólita é um mineral com grande capacidade de adsorção, catálise e retenção de água. Por isso, tem múltiplas finalidades e usos.

Complementando, trata-se de um tipo de mineral que possui características bastante vantajosas como a baixa densidade, o alto poder de hidratação e a elevada capacidade de troca iônica.

Mas, principalmente, a zeólita atua como uma eficiente peneira molecular devido à sua estrutura porosa. Ou seja, isso a torna um poderoso meio filtrante, desintoxicante e purificador (de líquidos e gases) com diversas utilidades. 

Veja algumas das utilizações da zeólita:

  • Tratamento de água para consumo humano e animal
  • Uso medicinal, terapêutico e formulação de medicamentos
  • Processos de remediação de solos contaminados por radiação e metais pesados
  • Produção de fertilizantes
  • Componente de rações animais
  • Em filtros industriais
  • Tratamento de efluentes
  • Refino de petróleo
  • Purificação e secagem de gases
  • Condicionamento de solos
  • Controle de agentes poluentes

Zeólita: benefícios para a saúde humana

A zeólita promove inúmeros benefícios em relação à saúde humana.

Hoje, este polivalente mineral – disponível na forma líquida, em cápsulas ou em pó solúvel – está presente em medicamentos, suplementos nutricionais e bebidas desintoxicantes.

No organismo humano, a zeólita atua como um eficaz agente desintoxicante, capaz de remover metais pesados (como chumbo e mercúrio) e toxinas.

Além da função detox, a zeólita ajuda a equilibrar o pH do organismo, auxilia na recuperação e no bom funcionamento do fígado, diminui a incidência de patógenos na microflora intestinal e contribui com o fortalecimento do sistema imunológico, entre outros benefícios. 

Zeólita: onde comprar

A zeólita para consumo humano, visando a melhoria da saúde e o bem-estar, está presente em suplementos, medicamentos fitoterápicos e cosméticos.

Esses produtos encontram-se à venda em lojas especializadas, farmácias de manipulação, casas de produtos naturais, em lojas virtuais e outros estabelecimentos.

Importante: o consumo da zeólita, no entanto, sempre deve ser supervisionado e orientado por um profissional da área médica.

A zeólita também é comercializada para a higienização e filtração de água de piscinas, de aquários e no tratamento da água que é empregada em processos industriais.

Você encontra Zeólita na FUSATI. Entre em contato: Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660 ou

os minerais zeólitos são utilizados em tratamentos de saúde, na agricultura, na indústria, na composição de medicamentos e, especialmente, em sistemas de filtração de água.

Zeólita para o tratamento de água industrial e residêncial

No caso das indústrias, a zeólita é especialmente importante para a correção de parâmetros físicos e químicos da água que é empregada no processo fabril.

O mineral zeólita é recomendado para o tratamento da água de distribuição pública, mas principalmente para o tratamento da água proveniente de fontes como rios, lagos, poços artesianos e outros mananciais, que geralmente apresenta excesso de minerais como ferro e manganês.

Há quatro décadas a FUSATI – tradicional fabricante de Filtros de água Centrais residenciais e sistemas de tratamento de água para comércios, empresas, indústrias e condomínios -, desenvolve projetos e tecnologias que possuem elementos filtrantes que operam com diferentes minerais como, por exemplo, quartzo, carvão ativado e a zeólita.

Filtro de Água Residencial. Água Pura para toda sua Casa

Seja para o tratamento de água bruta, de redes de distribuição ou de efluentes industriais, a FUSATI desenvolve e implementa soluções filtrantes customizadas de acordo com a necessidade da companhia e o tipo de água mais adequado à rotina fabril.

A empresa é especializada no atendimento de demandas envolvendo o tratamento de água de empresas do setor privado, comércios, conglomerados residenciais e municípios.

A rede de clientes FUSATI engloba indústrias de alimentos, bebidas, medicamentos e de produtos químicos, lavanderias, hotéis, hospitais, instituições de ensino, consultórios, clínicas, clubes, academias ,  laboratórios e outros negócios.

Além dos eficientes e versáteis Filtros Centrais – de uso residencial e comercial -, a FUSATI possui grande ‘know how’ no desenvolvimento de projetos e instalação de Estações de Tratamento de Água (ETA) e Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) para fins industriais.

A FUSATI possui a solução ideal em ETAs pressurizadas, compactas e modulares para o atendimento de qualquer demanda operacional.

Estação de Tratamento de Água Compacta FUSATI
Sistema de Tratamento de Água Não Potável.

Fale com a gente!

Consulte a FUSATI

Telefone/WhatsApp: (19) 3301-6660

Segurança: Água Pura, Filtrada em Todos os Pontos de Sua Residência

Segurança: Água Pura, Filtrada em Todos os Pontos de Sua Residência


Segurança para toda a família!

Filtros de água centrais que retém partículas como areia, argila e outras substâncias orgânicas menores do que um fio de Cabelo!

Água de Qualidade, Limpa e Cristalina

A maioria das pessoas têm cuidado apenas com a água que bebem e não com a água que usam para escovar os dentes, lavar a louça, tomar banho, lavar roupa, lavar e cozinhar alimentos, entre outras. Porém filtrar a água que você bebe e oferece para sua família é tão importante quanto filtrar a água para os demais usos.

Confira Mais benefícios dos Filtros de Água FUSATI!

  • Retém partículas sólidas em suspensão tais como: areia, argila, ferrugem, entre outros;
  • Reduz a turbidez da água, retendo limo, grãos de areia e resíduos de encanamentos;
  • Retém substâncias orgânicas em suspensão (bactérias, algas mortas, lodo etc.);
  • Evita o acúmulo de sujeira na caixa d’água, facilitando o processo de limpeza dos reservatórios;
  • Elevada eficiência na retenção de partículas de 5 a 15 μm (micra);
  • Aumenta a vida útil de chuveiros, aquecedores, máquinas de lavar-roupas e lava-louças, e outros equipamentos que utilizam água;
  • Diminui a frequente necessidade de limpeza periódica do reservatório de água;
  • Retrolavável e Auto Limpante: Os Elementos filtrantes duram até 3 anos.
Podemos ajudar! Fale com um especialista em Tratamento e Filtros de Água.